Paris: prazeres da cidade que é uma alegria para os amantes do bem comer

Atualizado

A frase, tirada do filme Casablanca, tem um significado que transcende o tempo: Paris é a cidade onde todos os amores são possíveis. Não bastasse essa idílica promessa, é uma cidade encantadora, e não estou falando dos óbvios Tour Eiffel, Champs Elysées ou passeios à beira do Rio Sena. Para nós, os amantes do bem comer, é uma festa constante na capital do país onde a manteiga é ingrediente mandatório. Novos sabores, extravagâncias, chefs de renome e o glamour de restaurantes estrelados … sempre há mais.

Os pequenos bistrôs parisienses são um charme à parte - Pixabay CC0 reative Commons smattern

São muitos os pequenos bistrôs e os charmosos cafés onde a gente senta e fica vendo a vida passar, enquanto desfruta de uma champagne, bien sûr. Paris, toujour Paris!

– Pixabay CC0 reative Commons smattern

Filme: Paris Pode Esperar - Divulgação
Filme: Paris Pode Esperar – Divulgação

Filme: Paris pode esperar
O filme (título original: Paris can wait), de 2016, é uma graça e nos diverte enquanto Anne e Jacques atravessam a França com destino a Paris numa viagem que dura muito mais do que o esperado. Lindas paisagens, um ar de romance, comidas e vinhos sensacionais e a leveza da história nos fazem querer cozinhar depois de assistí-lo.

Divertir a boca
… ou a goela. É o que querem dizer os franceses, literalmente, com as expressões amuse bouche ou amuse gueule. São pequenos bocados, mimos que os chefs fazem e manda à sua mesa, como cortesia, no início da refeição. Deliciosas surpresas!

Manteiga Café Paris - Beurre Café Paris à minha moda - Luciane Daux/ND
Manteiga Café Paris – Beurre Café Paris à minha moda – Luciane Daux/ND

Beurre Café de Paris à minha moda
Aqueça uma frigideira com duas colheres (sopa) de manteiga clarificada, murche meia cebola picada e um dente de alho picado. Leve-os a um processador de alimentos junto com 200g de manteiga sem sal de boa qualidade em temperatura ambiente; uma colher (sopa) de cada: vinho madeira ou Porto, mostarda Dijon, conhaque ou brandy ou whisky; uma colher (chá) de cada: ervas da Provence, pimenta preta moída na hora, molho inglês; dois filezinhos de aliche; uma xícara (chá) de salsinha picada; meia colher (chá) de cada: páprica doce, tomilho, estragão e manjericão; raspas de meio limão siciliano e de ¼ de laranja madura. Bata rapidamente. Retire da processadora e junte uma colher (sopa) de flor de sal ou sal comum e use para finalizar carnes, massas, molhos e para ser feliz. Pode congelar por 3 meses.

Cláasica sopa de cebola gratinada, hummmm! - Pixabay sabinevanerp
Cláasica sopa de cebola gratinada, hummmm! – Pixabay sabinevanerp

Soup a l’oignon (sopa de cebola)
(8 pessoas)
2,5L de caldo de legumes
4 colheres (sopa) de manteiga
5 cebolas roxas grandes em rodelas
5 colheres (sopa) rasas de farinha
sal e pimenta
8 fatias de brioche ou pão francês ou pão italiano
300 g de queijo gruyère ralado

1. Aqueça a manteiga e doure as cebolas em fogo baixo. Pode durar uns 15/20 minutos, este processo, tenha paciência.
2. Junte a farinha, frite. Adicione aos poucos o caldo. Mexa até que comece a ferver.
3. Deixe ferver por 20 minutos em fogo brando até que fique levemente cremosa.
4. Coloque a sopa em refratários individuais. Por cima de cada refratário, coloque uma fatia de pão e o queijo ralado.
5. Leve ao forno até que o queijo derreta e sirva imediatamente.

Mais Conteúdo