Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Cinco mentiras

Atualizado

O que seria de nós se não pudéssemos mentir? O mundo resistiria a poucos minutos se um dia a mentira fosse retirada da condição humana. Sei que há alguns velhos mentirosos que dizem que não mentem, ao dizer isso já estão mentindo.

Agora tem uma coisa. Há mentiras e mentiras. Há mentiras que são pecados mortais. O sujeito vai para o inferno em razão dessas mentiras… São as mentiras bandidas, criminosas, destruidoras. Os mentirosos que delas fazem uso logo se vão danar na vida.

O que me traz a esta arenga, leitora, são as mentiras leves, quase inconsequentes. E nem quero falar nas mentiras caridosas, aquelas, por exemplo, de não contar a alguém exatamente o que aconteceu ou está para acontecer, algo que vai fazer sofrer muito a uma pessoa amiga. Isso não é mentira, é piedade. Aliás, imaginemos um casamento sem mentiras, nem ele e nem mentindo. O casamento duraria alguns minutos… Mentiras leves fazem bem à vida, pronto!

Acabo de ouvir sobre as cinco mentiras que contamos a nós mesmos para nos justificar nos gastos estúpidos e que nos leva a situações difíceis na vida financeira. A 1ª mentira é – “Eu mereço”. O abobado, ele ou ela, diz que trabalha demais, que cuida da família, que cumpre com os deveres, isso e aquilo e que por isso “merece”. E daí, vai às compras.

A 2ª desculpa para endividamentos é – “Eu preciso”. O mentiroso confunde precisar com desejar. E dessa mentira, vai lá e pimba, compra, afinal, está “precisando”…

A 3ª desculpa é – “Eu estava infeliz”. Ninguém resolve felicidade ou infelicidade senão por vontade própria, vontade que deve independer de alguém ou de algo. Só os idiotas colocam a felicidade nele ou nela ou em algo externo…

A 4ª razão dos gastos indevidos é – “Não resisto”. Ah, não resistes, é? Será que é só para isso que não resistes, hummm?

E por fim, a 5ª razão para os gastos indevidos é – “Eu posso”. Curioso, os ricos, que de fato podem, compram pouco, seguram o dinheiro. Já os estultos da vida, ô, esses não têm cura. Apesar de tudo, penso que essas cinco mentiras não são pecados mortais, são veniais. O pessoal não vai perder o céu, vai perder o sono…

CÃO

Um idiota andava em alta velocidade de bicicleta na Beira-Mar Norte em Florianópolis e levava ao lado, numa trela, um cão. O bichinho ia de língua de fora. – Ah, mas é para ele se exercitar! Não digas bobagem, parvo. Os bichos têm seus ritmos e momentos de exercícios, eles é que decidem correr ou caminhar, eles… Mas vá dizer isso aos estultos que transformam cães em escravos, vá!

FALTA DIZER

Fato. Ela é jovem, cheia de saúde, pelo menos aparentemente, e entrou em licença-médica no trabalho. Passava por uma crise de depressão… Ocorre que os amigos a viam nas redes sociais em ruidosas festas noturnas. Ué, depressão em baladas? Muito comum essa “mentiragem”. É caso de demissão imediata, mesmo durante o período de licença. Vá criar vergonha no olho da rua.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo

Luiz Carlos Prates

Estava lendo A Arte de Viver, de Epicteto. Num canto da sala, um piano, sonoro, repousante… Repousante para […]

Luiz Carlos Prates

Penso que já temos intimidade suficiente, leitora, leitor, para lhe fazer perguntas, afinal, você me visita neste canto […]

Luiz Carlos Prates

Você sabe que virtude é diferente de obrigação. Virtude é o que fazemos sem precisar fazer. Ajudar uma […]

Luiz Carlos Prates

Quase fui irmão marista… Tenho na testa da alma o “M” de Maria e de Marista. Nunca estudei […]

Luiz Carlos Prates

Será por ignorância ou por prepotência? Seguido ouço homens (homens?) dizendo bobagens, machismos indevidos e indecentes, revelando-se como […]