Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Cinco mentiras

Atualizado

O que seria de nós se não pudéssemos mentir? O mundo resistiria a poucos minutos se um dia a mentira fosse retirada da condição humana. Sei que há alguns velhos mentirosos que dizem que não mentem, ao dizer isso já estão mentindo.

Agora tem uma coisa. Há mentiras e mentiras. Há mentiras que são pecados mortais. O sujeito vai para o inferno em razão dessas mentiras… São as mentiras bandidas, criminosas, destruidoras. Os mentirosos que delas fazem uso logo se vão danar na vida.

O que me traz a esta arenga, leitora, são as mentiras leves, quase inconsequentes. E nem quero falar nas mentiras caridosas, aquelas, por exemplo, de não contar a alguém exatamente o que aconteceu ou está para acontecer, algo que vai fazer sofrer muito a uma pessoa amiga. Isso não é mentira, é piedade. Aliás, imaginemos um casamento sem mentiras, nem ele e nem mentindo. O casamento duraria alguns minutos… Mentiras leves fazem bem à vida, pronto!

Acabo de ouvir sobre as cinco mentiras que contamos a nós mesmos para nos justificar nos gastos estúpidos e que nos leva a situações difíceis na vida financeira. A 1ª mentira é – “Eu mereço”. O abobado, ele ou ela, diz que trabalha demais, que cuida da família, que cumpre com os deveres, isso e aquilo e que por isso “merece”. E daí, vai às compras.

A 2ª desculpa para endividamentos é – “Eu preciso”. O mentiroso confunde precisar com desejar. E dessa mentira, vai lá e pimba, compra, afinal, está “precisando”…

A 3ª desculpa é – “Eu estava infeliz”. Ninguém resolve felicidade ou infelicidade senão por vontade própria, vontade que deve independer de alguém ou de algo. Só os idiotas colocam a felicidade nele ou nela ou em algo externo…

A 4ª razão dos gastos indevidos é – “Não resisto”. Ah, não resistes, é? Será que é só para isso que não resistes, hummm?

E por fim, a 5ª razão para os gastos indevidos é – “Eu posso”. Curioso, os ricos, que de fato podem, compram pouco, seguram o dinheiro. Já os estultos da vida, ô, esses não têm cura. Apesar de tudo, penso que essas cinco mentiras não são pecados mortais, são veniais. O pessoal não vai perder o céu, vai perder o sono…

CÃO

Um idiota andava em alta velocidade de bicicleta na Beira-Mar Norte em Florianópolis e levava ao lado, numa trela, um cão. O bichinho ia de língua de fora. – Ah, mas é para ele se exercitar! Não digas bobagem, parvo. Os bichos têm seus ritmos e momentos de exercícios, eles é que decidem correr ou caminhar, eles… Mas vá dizer isso aos estultos que transformam cães em escravos, vá!

FALTA DIZER

Fato. Ela é jovem, cheia de saúde, pelo menos aparentemente, e entrou em licença-médica no trabalho. Passava por uma crise de depressão… Ocorre que os amigos a viam nas redes sociais em ruidosas festas noturnas. Ué, depressão em baladas? Muito comum essa “mentiragem”. É caso de demissão imediata, mesmo durante o período de licença. Vá criar vergonha no olho da rua.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo

Luiz Carlos Prates

Vivemos procurando desculpas para os nossos amuos ou fracassos na vida. Acabei de ver um quadro no Balanço […]

Luiz Carlos Prates

É estranho, mas indesmentível: quem muito pensa não vive, sofre, tem medo. O muito pensar leva-nos a ponderar, […]