Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Descuidos fatais

Atualizado

Estudei na Psicologia o “pensamento mágico”. Esse pensamento mágico é um tipo especial de mecanismo de defesa do ego, crio fantasias que me protegem dos possíveis resultados ruins dos meus erros, das minhas ações idiotas. Todos fazemos isso.

A ordem para a “transgressão” vem do inconsciente, queremos prazeres, liberdade, tudo, e autorizados pelo “mecanismo de defesa”, avançamos. E, costumeiramente, caímos num abismo.

Faz pouco, acabei de ver uma entrevista no SC no Ar, telejornal matutino da Ric/TV-Record, em que uma médica falava de um dos mais comuns dos mecanismos de defesa do ego de que muita gente faz uso. O assunto girava em torno do sexo sem cuidados. E o que é sexo sem cuidados? Sexo sem cuidados é julgar a “parceria” pela aparência: – Ah, ela é limpinha! Ah, ele é limpinho! E a partir desse julgamento irresponsável, ele ou ela faz sexo com ele ou ela. “Limpinhos”. Esquecem as pessoas que quem julga por fora não sabe o que corre no sangue alheio?

Quantas mulheres casadas fazem sexo sem “cuidados” com seus maridos? Maridos altamente suspeitos ou claramente “traíras”… Mas elas não veem ou fingem não ver as safadezas do companheiro. Preferem acreditar no pensamento mágico: – Ah, eu acredito nele…! Cuidado, mulher, cuidado. Ingênuas se ferram mais cedo.

E os jovens? Com que idade eles começam a circular pelos porões do sexo sem prudência? Quantos pais perguntam às filhas adolescentes, quando elas vão sair à noite, se estão a levar camisinha na bolsa? Ninguém faz isso, ora, já se viu a filha fazendo sexo, ora, já se viu!… Mas a guria faz, sim, papai, faz sim.

No caso dos namorados, o sexo é logo ao início da relação, e os caras não querem saber de camisinha; e elas, por frouxidão, falta de educação ou de auto-respeito, não se impõem. Fazem o que eles querem. As doenças sexualmente transmissíveis estão em alta galopante, HIV, HPV, Sífilis, de tudo… E tudo poderia ser evitado com prudência, respeito e proteção. Camisinhas. O mais é defesa do ego frouxo, culpado, é pensamento mágico: – Ele, ela é limpinho/a! E as casadas que abram o olho. Precaução faz bem, bem melhor que cama de hospital…

HORROR

O Brasil assumiu a liderança mundial em homicídios. Superou o Iraque. E quem são os “mortos”? Preponderantemente, jovens entre 15 e 25 anos, já em atividades criminosas. Quem fez a pesquisa foi o IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O curioso é que a pesquisa dá um retrato detalhado dos que morrem, mas não dá o retrato dos que matam… Sei bem da razão, se sei…

FALTA DIZER

Qual o motivo de tanta bandidagem no Brasil? Falta de educação, famílias (famílias?) safadas, sem qualquer responsabilidade e… Justiça que não pune como tinha que punir. Mas também é verdade que se a Justiça “bater duro” em quem merece, não faltarão calças-frouxas a defender bandidos para dizer que a Justiça é preconceituosa, que faz discriminação, isso e mais aquilo. Dá nisso que anda por aí, recorde mundial de homicídios. Era só o que faltava.

Mais conteúdo

Luiz Carlos Prates

Americanos pesquisam tudo. Já descobriram, por exemplo, que 94% das mulheres não se gostam quando se veem no […]

Luiz Carlos Prates

Nem toda repetição é ruim, afinal, a repetição é a mãe do aprendizado. A repetição do que é […]

Luiz Carlos Prates

Conheço muitas pessoas bonitas, lindas mesmo… Por fora. Abrem a boca e se revelam toscas, grosseiras, sem graça, […]

Luiz Carlos Prates

Faz pouco, estava sentado, os olhos voltados para o nada e os dedos da mão esquerda tamborilando no […]