Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Elas e eles

Atualizado

Ontem ouvi uma conversa que me fez pousar a xícara de cafezinho e coçar o queixo. Um sujeito referia-se a um homem de 80 anos, “casado” com uma mulher de 35, como sendo um tipo especial de pedófilo. O sujeito dizia que uma mulher de 35 anos é uma menina e que um cara de 80 é um velho, o que ele poderia querer nessa relação?

Essa discussão remete a uma verdade pouca transparente entre nós: a de que homens e mulheres são essencialmente diferentes no sexo e nas percepções de vida. Muitas mulheres desconhecem que o homem pode estar caindo aos pedaços, velho como for, mas… Continua olhando para as mulheres com ardilosos desejos… O cara não para em pé, mas continua querendo da boa água da fonte. Já as mulheres não, as mulheres vencem o ciclo biológico da maternidade e se voltam a outros valores na vida. O homem continua olhando para as estrelas, o que cair na rede não será peixe…

E no caso dos “velhos”, que buscam mulheres jovens, acontece uma questão psicológica, existencial. A velhice do homem é muito mais frágil e dependente que a da mulher. A mulher saudável vive muito bem sozinha, sem um “amante” por perto. O homem não. O homem precisa ou de uma “mãe” ou precisa de uma jovem para reativar-se.

A companhia de uma mulher jovem ao lado de um homem idoso, antes de ideias sexuais, serve para “rejuvenescer” o homem. A velhice do homem é mais pesada que a da mulher; e uma jovem ao lado do sujeito bem mais velho o faz pensar nos melhores momentos da vida e não tanto no futuro que está logo ali e não é nada estimulante… O homem, inconscientemente, busca juventude, vida, renascimento ao se juntar a uma mulher bem mais jovem. Ainda que possa ser, é claro, também o velho instinto dos milenares “predadores” dos tempos de caverna…

O homem bem mais velho com uma mulher bem mais jovem nada tem de outra busca senão a da juventude que se foi… É um artificio semiconsciente de que os homens se valem para continuar jovens, e continuando jovens continuam “predadores”. Em resumo, é muito menos sexo e muito mais juventude o que buscam os homens mais velhos com as mulheres mais jovens…

REGRAS

Um jovem abobado passou por mim usando uma camiseta onde se lia – “Breaking the rules”, quebrando as regras… O idiota não sabe que sem regras a vida vira um anárquico fim de mundo? Será que o desordeiro vive absolutamente fora das leis? Dar uns safanões num bobo desses e mandá-lo decorar um manual de Educação Moral e Cívica.

FALTA DIZER

O que o governo americano está fazendo, estudar as redes sociais de quem pede visto para entrar no país, é o que as empresas estão fazendo em surdina. Bobões não ganham a vaga que buscam numa seleção de pessoal e nunca vão descobrir que a rejeição deveu-se às exposições pessoais e ridículas nas redes sociais. Semeiam? Colhem. Descompostura é falta de auto-respeito…

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo

Luiz Carlos Prates

Estava lendo A Arte de Viver, de Epicteto. Num canto da sala, um piano, sonoro, repousante… Repousante para […]

Luiz Carlos Prates

Penso que já temos intimidade suficiente, leitora, leitor, para lhe fazer perguntas, afinal, você me visita neste canto […]

Luiz Carlos Prates

Você sabe que virtude é diferente de obrigação. Virtude é o que fazemos sem precisar fazer. Ajudar uma […]

Luiz Carlos Prates

Quase fui irmão marista… Tenho na testa da alma o “M” de Maria e de Marista. Nunca estudei […]

Luiz Carlos Prates

Será por ignorância ou por prepotência? Seguido ouço homens (homens?) dizendo bobagens, machismos indevidos e indecentes, revelando-se como […]