Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Que tal ir à luta?

Atualizado

Confesso que até este ano não sabia que existia no calendário mundial o Dia do Desafio, é a última quarta-feira do mês de maio. Esse dia foi criado pelos canadenses visando a sacudir as pessoas para que saiam do sedentarismo. O tal desafio é para que nos mexamos. Saiamos da cadeira. Mas…

Entrei no espírito desse Dia do Desafio por outras razões, razões bem mais cáusticas que sair da poltrona e mexer os músculos. Na vida há desafios e desafios, pequenos e grandes desafios, alguns “monstruosamente” grandes… Pensando bem, desde que nascemos estamos entrando num dia de desafios. Todos os dias.

Todos os dias quando nos olhamos no espelho da vida, se formos honestos com nós mesmos, vamos dar de cara com um desafio. E o que costuma acontecer? Nada ou muito pouco. Deixamos o desafio para amanhã ou acabamos achando que ele não vale a pena ser enfrentado. Autoengano.

Já falei aqui da “dissonância cognitiva”, nome bonito que a Psicologia dá aos nossos conhecimentos e ao que não fazemos com eles. Todos sabemos do que fazer e do que não fazer, todavia, ignoramos o que sabemos e fazemos o que nos gratifica. Resumindo, dissonância cognitiva é o descompasso que existe entre o que sabemos e o que fazemos. Um pequeno exemplo: os fumantes sabem dos males do cigarro, mas fumam. Dissonância cognitiva pura.

Pessoalmente, tenho incontáveis “desafios”, bah, desde que me entendo por gente. E aí, enfrentei esses desafios e os deixei no chão? Que me lembre, não. E de que me adiantaram então todos os meus estudos, cansativos e diários sobre psicopatologias? Nada para mim, mas muito para os outros. A velha história do – faças o que te digo, mas não faças o que faço! Um descaramento.

E você, quais os seus desafios? Desafios são questões que temos que enfrentar, mudar, adotar ou iniciar, tudo visando a uma vida melhor. Comecei esta conversa enjoada falando do “dia do desafio”, mas estava esquecendo dizer que dia de desafio são todos. O de hoje, por exemplo.

O curioso é que nossos desafios são todos eles para o nosso bem, mas… Deixamo-los para amanhã. Não nos queixemos então da vida que levamos.

VERDADE

Como penso igual a ele, vou citá-lo. É James Heckman, americano, ex-Prêmio Nobel de Economia. Ele diz que – “Investir em educação para a primeira infância é estratégia anticrime e poderosa energia para a Economia de um país”. Quem discorda? Discordam os que querem “bolsas” na Universidade e verbas para gastos suspeitos ou altamente indevidos. Verbas sim, para a educação da primeira infância! Os demais que “trabalhem” por seus diplomas…

FALTA DIZER

Por necessidade profissional ando a circular por muitos “sites”. Um horror. Dia destes a discussão era sobre “o poder da bunda”. Idiotas, gente sem talento de todos os tipos discutindo a bunda da fulana. E o talento da cantora, ela tem? Nada. Só discutem a bund… E a “imprensa” ainda incensa e abre espaços para esses asquerosos. E dizer que os talentosos e decentes não têm espaço, não têm.

 

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo