Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Que tal um gole?

Vamos ser honestos, ninguém me vai dizer que cachaça ou uísque são bebidas gostosas, que as degustamos com prazer. Só um viciado vai dizer isso. Essas bebidas foram inventadas, “criadas” pelo ser humano para a anestesia da consciência de nossos medos, inseguranças e inadequações. O cara bebe essas “aguardentes”, isto é, águas ardentes, para fugir dos seus nadas. Não é outra a razão e, por favor, não se tentem enganar.

Leio todos os dias, aqui ou ali, que o brasileiro está bebendo cada vez mais e as mulheres mais que os homens. A última manchete que me cruzou pelas retinas dizia que “Florianópolis tem alto nível de consumo de álcool”. Mas como ser diferente se a grande preocupação da população é “parecer”? Ser, raros querem, parecer é o que conta. Endividados, gastando o que não têm, viajando para os vazios das selfies, casando e descasando com o descaro dos fúteis, reclamando do trabalho, do salário, do mau tempo… O tempo todo.

As bebidas, como de resto qualquer outra droga, são buscadas como anestésicos, são drogas legais, logo, consumi-las não coloca a pessoa na fogueira dos graves desaforos… Mas que é fuga, é. Ninguém me vai dizer que bebe caninha ou uísque e esfrega os beiços de prazer. Engole se queimando, mas engole. E engole cada vez mais porque os abismos interiores estão num crescendo patológico e suicida… Muitas vezes o suicídio é buscado por meio de ações que na superfície se confundem com prazer… A Psicologia é bruxa má, companheiro, ela puxa todas as máscaras.

Com relação aos machinhos a conversa não é de hoje, faz séculos que eles precisam de “bebidas” para entrar na dança, na dança do salão, quero dizer. Sem coragem, sem jeito, sem nada na cabeça, sem segurança para conversar com uma garota, eles se entopem antes do “baile da vida”, enchem a cara, fazem ridículos e se tornam “valentes”, valentes da Mãe Joana… Sou antipático por dizer o que digo? Então, por que os pais não fazem isso, afinal, são tão modernos, por que não educam os filhos? Sabes por que, leitora? Porque os pais também estão nessa… Credo! Acho que vou beber alguma coisa…

TROUXAS

Quem são os trouxas? Os eleitores passivos, a maioria. Um deputado federal recebe convite para um seminário na China, mas não recebe passagens nem hospedagem. O cara vai, pega avião de 1ª classe, paga com dinheiro do povo, oito vezes mais que a passagem comum, e diz que fez isso porque tem sobrepeso, é muito alto e tem problemas de saúde… Dane-se. E um cara desses não é “pegado”? Não no Brasil, aqui ele será “reeleito”. Eu o queria na minha delegacia, 1ª “classe”…

DANÇA

Ela tem 72 anos, contava no UOL que estava em funda depressão. Reagiu. Foi para uma aula de dança e… A depressão sumiu. Depressão e qualquer sentimento de enjoo, seja pelo que for, cedem e dão lugar ao ânimo se a pessoa movimentar o corpo, agora, já… Braços para cima, saltos, movimentos rápidos, decididos, tiram qualquer desânimo na hora. A pasmaceira é a mãe das depressões, dos desânimos…

FALTA DIZER

Os bons modos estão em extinção. Regra geral. Uma “socialite”, bem conhecida, dizendo nas redes sociais, num site de jornalismo também, que é vegana, come comidas saudáveis, isso e aquilo, mas que mesmo assim solta muitos puns. Jesus, e uma mulher dessas conseguiu casar. Agora é assim, pudor, nem a pau, Juvenal! Credo, que lacraia!

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo

Nenhum conteúdo encontrado