Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Verdade dói

Atualizado

Ouça o que vem a seguir e me diga se não serve para você. Ouça: – “É preciso pensar mais em você, pois não haverá gratidão por tudo que você fez pelas pessoas com quem se relaciona. Isso não é bom nem mau, apenas é o que é”. E aí, concordas?

Esse trecho estava no meu horóscopo. Os horóscopos, você sabe, deixaram de ser previsões ou sentenças condenatórias. Faz tempo que deixaram de ser assim. Hoje os horóscopos são mensagens filosóficas, psicológicas para uma vida melhor. Nada mais.

Li esse meu horóscopo e discordei. Não aceito que façamos o bem, ajudemos pessoas e não recebamos o troco da simpatia e da gratidão.

Diz um princípio cristão que devemos fazer o bem sem olhar a quem… É possível, mas que esse alguém saiba do que fizemos e nos seja grato, grata. Sabemos que o ser humano nasce um bicho feroz, uma fera, a sociedade mais tarde vai domá-lo, pela educação e pelas leis penais. Sem essa de que nascemos bons e a sociedade nos corrompe, como disseram alguns bonecos no passado. Nada disso, o ser humano nasce para não prestar. Tanto isso é verdade que um dia, remotíssimo, os humanos foram obrigados a abrir mão dos seus desatinos para poder continuar vivos: criaram as leis. Sem as leis, somos bichos mais que ferozes, somos demônios vestidos. Os bichos, pelo menos, têm instinto, é aquilo e pronto… Nós não, nós pensamos, calculamos, somos ordinários e temos “planos”. O que nos trava são os medos, religiosos ou não, a educação e as leis penais. Sem isso, não haveria mais mundo há milhões de anos.

E para terminar, ninguém faz o bem de graça, faz para ganhar pontos com Deus, creia a pessoa ou não num deus, faz o bem para ganhar gratidão, aplausos, reconhecimentos… Faz o bem para aplacar sentimentos de culpa, faz o bem para aliviar-se do que pensa e tem vontade de fazer. E também fazemos o bem para não cair nas condições de quem precisa de ajuda, ajudando ganhamos pontos “com Deus”. Mas tudo visa ao reconhecimento e à gratidão sim. Quem não nos for grato, mandamos ao devido lugar… E só nós sabemos disso…

RETORNO

Quando fazemos o bem, consciente ou inconscientemente, acreditamos na Lei do Retorno, lei que se confunde com a semeadura. A colheita, resultante da semeadura, será a resposta do que agora fazemos… O ser humano é um negociante da vida e com a vida, ainda que se defenda com religiões de todo tipo e dizendo que não, que faz o bem sem esperar o troco. Claro que esperamos o troco… De algum modo, esperamos a gratidão. Todos, sem exceção.

FALTA DIZER

Vejo todos os dias atores e atrizes que um dia foram bonitos, bonitas e hoje estão atirados, sem graça, “envelhecidos” pelo desleixo pessoal. Por que isso? Qual a razão desse desapego à vida? Muito feio. Gente que cresceu ou pela beleza ou pelo talento e que agora se joga na lata de lixo dos “nem aí”. Muito feio. Tornam-se desprezíveis.

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo

Luiz Carlos Prates

Vivemos procurando desculpas para os nossos amuos ou fracassos na vida. Acabei de ver um quadro no Balanço […]

Luiz Carlos Prates

É estranho, mas indesmentível: quem muito pensa não vive, sofre, tem medo. O muito pensar leva-nos a ponderar, […]