Luiz Carlos Prates

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Vire a página

Atualizado

Sim, se a leitora for muito sensível ou pudica, pode virar a página, o assunto que vem a seguir bem que pode se confundir com conversa de motel… Mas é sério, muito sério.

Antes de puxar a cortina do assunto, devo lembrar que dia destes, aqui mesmo, falei de uma mulher metida, de televisão, ela se acha, e que já teve dois maridos, muitos ricos. Com cada um deles fez um filho… Essa mulher, sem nenhum constrangimento, falou a repórteres que fez durante um tempo uma “medicação” especial para reduzir o tamanho, como vou dizer? O tamanho do “sexo” dela… Dá para entender? E a tal medicação consistia em sentar-se sobre uma bacia cheia d’água e com várias ervas. As ervas fariam o “milagre”. Tem cabimento? Ademais, para que reduzir o tamanho do “sexo”? E a leitora sabe que existem os procedimentos cirúrgicos “oficiais” que se prestam à mesma graça: diminuir o tamanho do “sexo” da mulher. Mais claro não tenho coragem de ser.

E agora, a mais recente notícia nessa área, traz esta manchete: – “Médicos fazem alerta após mulher se queimar durante vaporização vaginal”… Não sabia dessa novidade. E mais uma vez o propósito é reduzir o tamanho do “sexo” da mulher. Funciona mais ou menos como a mulher sentar-se sobre um fogão ligado, uma espécie de bacia, com fogo por baixo, temperatura muito alta… E isso, segundo a “ciência”, reduziria o tamanho do “sexo” da mulher. Por que esse esforço estulto? Visando a que essa estupidez? Se a pessoa nasceu com uma deformação facial, tudo bem, que faça uma cirurgia estética, nada contra. Não é o que acontece, elas estão se retaliando por nada e não sabem que o resultado, por melhor que seja, não lhes vai mudar o modo de se ver diante do espelho. Isso já foi mais que provado.

Agora a moda é mexer lá embaixo. Diachos, por que isso? Enquanto isso, os homens continuam uns diabos de feios e elas nem aí, os aceitam assim mesmos. O que é a pessoa não ter dignidade, não se respeitar! Credo, pobres coitadas.

CÉREBRO

Você já me “ouviu” aí em cima? Sim? Então vai entender. A pergunta que me fustiga é: por que as pessoas não fazem “retoques” no cérebro, na memória? Por que não leem mais, por que não estudam mais, não se qualificam com diversidade cultural de sorte a se tornarem “bonitas” nas ideias, palavras e ações? A eventual beleza externa jamais segurou uma “relação” por mais de poucas semanas, se tanto…

FALTA DIZER

Ela era bem solta, pintou e bordou, segundo ela mesma. Agora está comportada, virou “religiosa”… E dia destes, ela fez uma declaração interessante. Ela disse que – “Não ouça nunca, nunca, a voz do seu coração. Eu já ouvi e me arrebentei, e te digo como dói, parece que tira um pedaço de você”. Ela falava de amores. Tem toda razão, porém… Somos estúpidos, vamos sempre pelo coração, que é “cego”, faz escolhas erradas. A razão é tímida, mas é ela que tem razão. Sempre.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo

Luiz Carlos Prates

– “Cala-te e ter-te-ão por sábio”, sentenciou o rei Salomão, o da Bíblia. Outra frase magnífica e na […]

Luiz Carlos Prates

Mais uma entrou para os meus arquivos temáticos, e entrou por sua qualidade de vida e longevidade. Meus […]

Luiz Carlos Prates

Velho muito cedo, sábio muito tarde. O que você acha? Eu achei interessante. “Velho muito cedo, sábio muito […]