Um grupo diferente no Festival de Dança de Joinville em junho

Atualizado

Grupo de Soraya Lima será representado por alunos entre 19 e 50 anos, todos com síndrome de Down ou de Asperger - Tribuna do Norte/Natal/Divulgação
Grupo de Soraya Lima será representado por alunos entre 19 e 50 anos, todos com síndrome de Down ou de Asperger – Tribuna do Norte/Natal/Divulgação

Os pais e os próprios nove alunos ficaram surpresos quando receberam a confirmação de que o “Studio de Dança Soraya Lima” participaria do próximo Festival de Dança de Joinville. Afinal, eles tinham disputado uma das vaga na “classificação geral” com outros três mil concorrentes. A surpresa foi tanta que eles nem tinham um plano para financiar a viagem até Joinville de 18 a 29 de junho. A partir de agora eles já iniciaram uma campanha visando arrecadar recursos para participar do maior festival de dança do mundo em número de participantes.

O grupo de Soraya Lima, uma escola de dança do bairro Nova Parnamirim, de Natal (RN), será representada por alunos entre 19 e 50 anos, todos com síndrome de Down ou de Asperger. Hoje representam um dos maiores exemplos de inclusão social no estado do Ceará. Síndrome de Down todos conhecem, mas a de “Asperger” é pouco conhecida: uma condição neurológica do espectro autista caracterizada por dificuldades significativas na interação social e comunicação não-verbal, além de padrões de comportamento repetitivos e interesses restritos.

Seguro desemprego

A maior cidade catarinense com carteira assinada possui hoje aproximadamente 10.300 trabalhadores recebendo o seguro desemprego. É mais do que a população de Balneário Barra do Sul – 9.828, segundo projeção do IBGE. E o número candidatos ao benefício cresce a cada semana no Posto do Sine e na sede do Cepat. Só no Sine são distribuídas 50 fichas diariamente para candidatos em futuro emprego ou no seguro desemprego.

A crise de 2015

Apesar dos números favoráveis do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e um reaquecimento no setor industrial, Joinville ainda não voltou ao cenário de 2014 no que se refere ao número de empregos formais. Antes da crise, segundo levantamento do Posto do Sine, eram cerca de 199 mil trabalhadores. Até o final de abril, o número caiu para 187 mil.

Dinheiro da JBS

O ex-vereador Sidney Sabel ficou surpreso ao ver seu nome na lista de candidatos beneficiados com dinheiro da JBS em Santa Catarina. Ele disputou uma vaga de deputado estadual em 2014 pelo PP. Os R$ 20 mil que ele recebeu foram enviados pelo diretório estadual de seu partido, a quem ele agradeceu muito na época. Não sabia que a origem era uma doação da JBS ao PP de Santa Catarina.

Pedra no rim

O prefeito Udo Döhler ficou algumas horas como paciente do Hospital Dona Helena em Joinville. Nada grave. Retirou uma pequena pedra nos rins. Na manhã seguinte já estava trabalhando.

Casal confessa assassinato

Uma denúncia de uma mãe possibilitou a Polícia Militar de Jaraguá do Sul prender sua filha e o companheiro neste final de semana e denunciá-los por assassinato, furto de veículo e arrombamento de uma loja na cidade. A mãe ligou para o 190 porque sua filha e o companheiro (os nomes não foram divulgados até o final na noite de ontem) estavam consumindo crack. Ao avistar a viatura, o homem fugiu a pé logo foi detido. O carro tinha registro de furto no Paraná e as roupas que estavam dentro dele foi resultado de um arrombamento na loja da própria mãe da acusada. A maior surpresa foi a confissão do assassinato de uma mulher, cujo corpo foi abandonado na Estrada Rio do Morro, no interior de Araquari. O casal admitiu que ambos são viciados em crack. A Polícia está investigando o motivo do homicídio.

Mais conteúdo sobre

Mais Conteúdo