Usar coleira e guia para passear com nossos cães é muito importante

Segurança

Usar coleira e guia para passear com nossos cães é muito importante. E não apenas para a segurança deles, mas também para a de outros animais que eles podem perseguir e atacar (gatos, cães, pássaros etc.), e de pessoas, que podem se assustar e/ou reagir mal. Eu mesma levei um susto quando um cão passeando solto me cheirou pelas costas durante uma caminhada, saltando para o meio da rua. Primeiro eu reagi, só depois vi que era um cachorro e que estava tudo bem. Mas eu poderia ter sido atropelada.

Perigos

Dependendo de onde for o passeio, poderá haver vários perigos, como trânsito de carros e motos, ou mesmo animais grandes, como gado e cavalos pastando ou soltos (moro no Campeche, onde animais pastando é algo comum, por exemplo). Além disso, o cachorro pode fugir em um descuido seu, ser roubado, ou recolhido como estando abandonado. 

Enforcador nunca

Escolha uma coleira confortável e segura, preferencialmente peitoral ou de focinho. Jamais utilize modelos que enforcam os animais e não ande com o cão sendo estrangulado. Primeiro é preciso ensinar o animal a passear, para só depois ganhar as ruas com regularidade. A crença de que o cão deve andar grudado ao corpo da pessoa, todo empinado e estático como um robô é ultrapassada e desrespeitosa. O passeio serve justamente para o cachorro relaxar, cheirar o mundo, interagir e gastar energia. Com segurança, mas também com carinho e diversão.

Cuidados

Mesmo que o seu animal seja pacato, vocês podem cruzar com outros não tão amigáveis durante o passeio. Ele pode brigar com outros animais soltos, ou mesmo com cachorros soltos dentro de quintais, pela grade. Além de outros animais, nem todo mundo tem obrigação de gostar de ser abordado por um cão na rua, ainda que amigável. Há pessoas com medo de cães, outras que simplesmente não gostam deles (tudo bem, não entendemos como, mas existem) e outras ainda que podem simplesmente se assustar por estarem distraídas. Todas essas situações podem levar a acidentes ou reações violentas, ainda que involuntárias.

Fugas

Cães soltos podem fugir, seja para perseguir um bicho, seja por susto com barulhos de fogos, de algum escapamento etc. Na fuga, eles podem ser recolhidos por alguém querendo ajudar, achando que estão perdidos, mas também podem ser atropelados, ou terminar vagando pelas ruas, perdidos para sempre. Esse é um perigo também para quem tem o péssimo hábito de deixar o cachorro “passear” sozinho pelas redondezas.

Portão

Cães passeando soltos podem avançar ou interagir com animais através de grades e portões, o que pode causar acidentes, ferimentos e mesmo morte, pois um cão de grande porte pode abocanhar um pequeno pela grade, por exemplo.  O meu cãozinho de doze anos jura que é um leão feroz e mesmo passeando com guia, vai avançando nos cães das casas pelo caminho, então já passo longe o suficiente para que ele não alcance, ou o carrego no colo em alguns trechos.

Fezes

Outro problema em sair para passear com o cachorro solto é não estar atento a todas as vezes em que ele defecar, deixando para trás fezes não recolhidas. E nós que gostamos tanto de cachorro não queremos que outras pessoas tenham nada de mal para falar deles, certo? Ainda mais por algo que é totalmente culpa nossa, como a falta de higiene. Um ótimo final de semana de passeios para você e seu peludo!

Mais Conteúdo