Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.

Dicas de viagem: Grécia, por Airton Almeida

Foto: Airton Almeida/Divulgação/ND

Airton Almeida acaba de voltar de um tour de 15 dias pela Grécia, por onde havia passado há 35 anos em um cruzeiro. Desta vez, foi decidido a cumprir um roteiro menos convencional para visitar também pontos não turísticos e conhecer a genuína vida dos gregos, acompanhado de um guia local. “Aluguei um apartamento. Nada de restaurantes de luxo, iates, etc. Nada de obrigação de conhecer ou não conhecer. Fui visitando os lugares conforme deu vontade. Acrescentei outros sugeridos por nativos”. Entre gastronomia e passeios, ele dá algumas dicas à coluna.

> Chegar na Europa com pacote de dados e voz. Usei a operadora francesa Orange, que não te deixa na mão um só instante. E, ao contrário do Brasil, cobra exatamente o que você consome. Chip vendido no Brasil, pela internet.

> Tour imprescindível: visitar o Templo de Poseidon, no Cabo Sounion. A viagem até lá, por si só, é de encher as meninas dos olhos. Ver o pôr do sol em meio as ruínas é de tirar o fôlego.

Templo de Poseidon – Foto: Divulgação/ND

> Jantar em uma das tavernas de Lavrio, o segundo porto mais importante da Grécia. No To Atherinaki, há opções da típica culinária grega e pratos mediterrâneos com frutos do mar. A pequena cidade é charmosa e uma caminhada no entorno do porto é programa dos bons.

> Para quem optar pelo aluguel de um apartamento e quer preparar seu café da manhã em casa, supermercados como o Galáxia têm melhores preços. Sacolas plásticas são cobradas. As de tamanho pequeno, comuns no mercados do Brasil, custam 10 centavos de euro cada.

Souvlaki – Foto: Airton Almeida/Divulgação/ND

> Imperdível o souvlaki enrolado em cone de pão pita do Kalamaki’s Grill House, em Varkiza, com vista incrível para o mar. Na mesma taverna, não deixe de saborear o feta cheese in philo (generosa fatia de queijo feta, exclusividade grega, envolto em delicada massa folheada e recoberta com molho de mel e gergelim preto). Dos deuses! O mel grego é apontado como um dos melhores do mundo.

Feta cheese in philo – Foto: Airton Almeida/Divulgação/ND

> Para quem não tem problemas com doces, jogue-se dentro de uma das cinco lojas da Bread Factory. Mais de 500 tipos de tortas que você pode comer no próprio local. Difícil é escolher qual delas é a melhor. Nesta época, já estão vendendo os tradicionais melomakarona, biscoitos natalinos tipicamente gregos à base de sêmola, raspas e suco de laranja, canela, conhaque e mel, entre outras especiarias. Na Bread Factory, também é possível comer típicos pratos quentes como moussaka e gemista, ou levá-los para casa.

Veja a vitrine da Bread Factory de Atenas no vídeo abaixo:

> Se você faz o estilo grifado e logotipado, mergulhe fundo no McArthurGlen, em Spata. Outlet com mais de 100 lojas da Ermenegildo Zegna, Hugo Boss, Ralph Lauren, Diesel, Lacoste, Calvin Klein, Moschino, Salvatore Ferragamo, Versace, entre outras.

– Tire no mínimo umas três horas do dia para visitar o novo Museu da Acrópole, inaugurado há dez anos e com todo o seu acervo em exposição permanente. Durante a construção do prédio de ares futuristas, foi encontrado um conjunto de casas da Grécia antiga, que pode e deve ser visto no subsolo.

Acrópole – Foto: Divulgação/ND

> Todo grego de raiz não abre mão do incrível tzatzíki, molho à base de iogurte, com pepino e alho, temperado com azeite, vinagre e pimenta do reino. Entrei na onda de comer todos os dias essas mezédes (antepastos).

> Quem for a Varkiza vai encontrar na avenida principal dezenas de cafeterias, uma ao lado da outra. Dá para eleger uma por dia para degustar o Freddo (café gelado) ou expressos da hora. Ambos na faixa de quatro euros cada. O preço pode variar. Uma boa dica é tomar café no V Restaurant, e depois dar um mergulho na praia hiperprivê.

Mar de Varkiza visto do V Restaurant – Foto: Airton Almeida/Divulgação/ND

> Você gosta de esportes radicais? Então se jogue, literalmente, no bungee jumping instalado no canal de Corinto, que liga as águas do golfo de Corinto ao golfo Sarônico, no mar Egeu. Começou a ser construído pelo imperador Nero (67 d.C.), mas só foi concluído em 1893. Em alguns trechos, há opções de passeios em barcos turísticos e prática de jet-ski e caiaque. Depois desta aventura, estique até Náfplio, com sua fortaleza Palamidi e restaurantes charmosos à beira-mar.

Mais Conteúdo