Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.

Dicas de viagem: Montevidéu, por Heloisa Dallanhol

Atualizado

ATENÇÃO: a pandemia de coronavírus obrigou governos a fecharem fronteiras, isolarem áreas dentro de seus países e restringirem ao máximo o trânsito de pessoas. A circulação nas ruas deve ser mínima e estritamente necessária para evitar a transmissão. Então, guarde as dicas de viagem para aproveitá-las quando o ambiente estiver normalizado. Por enquanto, siga a recomendação das autoridades de saúde: FIQUE EM CASA!

*********************************************************************************

Heloisa Dallanhol arriscando-se nos tambores de Montevidéu – Foto: Divulgação/ND

Viajante inveterada desde muito cedo, Heloisa Dallanhol já visitou cerca de 70 países. Seu último tour foi em Montevidéu, capital do Uruguai, onde passou o Carnaval com o marido, Gerrit Dordmond, e a sogra, Maria van Zee Dordmond, ambos holandeses. O país tem o Carnaval mais longo do mundo: 45 dias de eventos, sendo os desfiles principais em janeiro.

Em fevereiro, eles foram conhecer os tablados, palcos ao ar livre, onde corais fazem críticas político-sociais na forma de música, passistas rebolam e percussionistas tocam tambores no ritmo africano que caracteriza a festa uruguaia: o candombe (nada a ver com candomblé).

“No país de economia estável, saúde, segurança e educação exemplares para padrões latino-americanos (índice de analfabetismo de 1% e acesso automático à universidade pública gratuita e de qualidade, sem vestibular), até o Carnaval é muito civilizado e ‘família’. Não vimos nenhum bêbado, nem achamos que a legalização da maconha tenha aumentado o consumo em público”, conta Helô.

Museu do Carnaval: dedicado à história do Carnaval uruguaio e ao candombe, ritmo trazido pelos escravos africanos. É pequeno, mas concentra fantasias, máscaras e adornos originais. Aberto em qualquer época. Às quartas-feiras, a entrada é gratuita.

Hotel Radisson Victoria: na praça Independência. Majestoso, com lustres de cristal e outros requintes que fazem jus a suas cinco estrelas. Tem cassino, jacuzzi, spa com bronzeamento artificial, academia, pista de corrida e piscina quase semiolímpica.

Cala di Volpe Boutique Hotel: charmoso e com custo menor, fica na orla, em Punta Carretas. Oferece bicicletas de cortesia, o que facilita percorrer os 12 quarteirões que dão no parque Rodó, onde nativos vão tomar mate e ver a praia fluvial, já que, mais do que mar, é o estuário do rio de La Plata.

Passeio: com tempo bom, ande pelas ramblas, um longuíssimo calçadão ao longo das praias. Partindo da orla em direção ao interior, há bairros residenciais de classes média, como Pocitos, e alta, como Carrasco (nele fica o original aeroporto desenhado pelo arquiteto uruguaio Rafael Viñoly). A Ciudad Vieja e o centro propriamente dito têm prédios imponentes, alguns bem preservados, como o Palácio Salvo.

Mercado del Puerto: tem restaurantes apertadinhos, de onde se sai cheirando a churrasco. O Mercado Agrícola de Montevideo é mais espaçoso, porém tem menos opções gastronômicas e mais lojinhas e estandes de produtos alimentícios.

El Milongón: para ver bailarinos dançando milongas, tangos, candombe e ritmos gaúchos (junto com Rio Grande do Sul, o Uruguai já integrou a Província Cisplatina). Esta casa de shows também oferece jantar, mas por 40 dólares ficamos só assistindo e tomando Medio y Medio, mistura de espumante e vinho branco.

Bar Fun Fun: por menos ainda, dá para beber outra bebida típica, Uvita. Fundado em 1895, Carlos Gardel deixou lá em 1933 uma foto autografada, ainda exibida no local. O espetáculo de tango é mais intimista do que no concorrente.

Veja galeria de fotos abaixo. Clique na imagem para ampliar.

Dicas de viagem: Montevidéu, por Heloisa Dallanhol

Heloisa Dallanhol entre o marido, Gerrit Dordmond, e a sogra, Maria van Zee Dordmond - Divulgação/ND

Heloisa Dallanhol entre o marido, Gerrit Dordmond, e a sogra, Maria van Zee Dordmond - Divulgação/ND

Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Museu do Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Museu do Carnaval de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Bar do Hotel Radisson Victoria - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Bar do Hotel Radisson Victoria - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Piscina do hotel Radisson Victoria - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Piscina do hotel Radisson Victoria - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Coral apresentando-se em um dos tablados ao ar livre - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Coral apresentando-se em um dos tablados ao ar livre - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Casario de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Casario de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Cassino Carrasco - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Cassino Carrasco - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Palácio Salvo - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Palácio Salvo - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Show típico no El Milongón - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Show típico no El Milongón - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Mercado Agrícola de Montevideo - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Mercado Agrícola de Montevideo - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

No Uruguai, a maconha é legalizada - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

No Uruguai, a maconha é legalizada - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Rua arborizada de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Rua arborizada de Montevidéu - Heloisa Dallanhol/Divulgação/ND

Mais Conteúdo