Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.

Entrevista: Lays Matias

Foto: Rony Costa/Divulgação/ND

Educadora física formada pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), professora de ginástica rítmica para crianças, de ginástica funcional para idosos e de dança de salão, Lays Matias tornou-se rainha do Carnaval de Florianópolis na noite de 18 de janeiro. Aos 25 anos, a soberana é a primeira vinda da Acadêmicos do Sul da Ilha, primeira representante de uma escola do grupo de acesso, primeira a desfilar também como cidadã-samba (sem concorrer) em sua escola, e, talvez, a primeira a formar o casal de cidadãos-samba com o próprio marido.

Qual o teu envolvimento com a ginástica rítmica?

Já fui atleta e hoje dou aula. A equipe é grande. Temos dois grupos: o das escolinhas (iniciantes) e a equipe de competição. Ao todo, são mais de 200 crianças, mas dou aula para parte delas. Atualmente, devem ser em torno de 45, 50 alunas.

A dança faz parte da ginástica rítmica. Já levaste o samba para criar coreografias de ginástica?

Fizemos algumas séries das alunas ao ritmo do samba. A música da apresentação dos professores de encerramento de 2019 também foi samba. Fiz uma participação com samba no pé.

Lays Matias em sua apresentação como candidata ao título rainha do Carnaval de Florianópolis 2020 – Foto: Antonio Husadel/Divulgação/ND

Desde quando desfilas como passista?

Desfilei a primeira vez como passista no bloco da Gaviões Alvinegros, em 2012, com 17 anos. Depois, na Copa Lord, em 2017, com 23 anos. Desde então, desfilo todos os anos consecutivos. Em 2019, desfilei na Acadêmicos do Sul da Ilha e na Copa Lord. E, para o ano de 2020, fui convidada a ser coordenadora da ala de passistas e cidadã-samba da Acadêmicos.

Na tua família há mais alguém com a mesma dedicação ao samba?

Ligado ao Carnaval não tem ninguém. Esse amor começou por mim mesma. Porém, são todos amantes do samba. Cresci ouvindo samba na casa dos meus avós, nos encontros de família. Meu irmão (Willian Policarpo Matias) toca vilão, e sua preferência é o samba.

Foto: Divulgação/ND

A coroa de rainha era um sonho antigo?

O sonho de ser rainha vem desde a infância, quando eu apenas assistia às escolas e acompanhava os ensaios. Quando assistia às cortes, tinha uma vontade imensa de um dia estar lá, representando minha cidade. Tenho o maior orgulho de ser manezinha da Ilha! Amo Floripa e amo o Carnaval. Assumir esse cargo me enche de alegria. Sou muito grata.

Este foi o teu primeiro título no Carnaval?

Como corte do Carnaval de Florianópolis, foi a primeira vez que participei do concurso, e já tive a alegria de ser rainha. No Lira Tênis Clube, em 2017, fui 2ª passista de ouro, e, em 2019, 1ª princesa do bloco SOS. Para 2020, fui convidada a ser cidadã-samba da Acadêmicos.

Da esq. para dir.: Gabriela Rodrigues Sousa (2ª princesa), Marcos Willerding (Rei Momo), Lays Matias (rainha) e Thallita Juannita Silva Souza (1ª princesa), a corte do Carnaval de Florianópolis 2020 – Foto: Divulgação/ND

Ser a primeira representante da Acadêmicos do Sul da Ilha e de uma escola de acesso a ganhar a coroa aumenta a responsabilidade?

Sim. Além de uma responsabilidade grande, eu me sinto honrada em poder representar uma escola de acesso, e mostrar que as escolas de samba deste grupo existem e resistem! Estou muito feliz em quebrar esse tabu.

Como te tornaste cidadã-samba da escola fazendo par com o próprio marido?

Fui indicada pela cidadã anterior, que entregou a faixa e sugeriu que eu fosse sua sucessora pelo fato de ela já conhecer eu e meu marido (Vanderlan da Costa Junior, que já era cidadão-samba), e saber da nossa sintonia na dança, por conta da gafieira (já demos aula juntos). A diretoria da escola gostou da ideia e me convidou. Não houve concurso.

Lays Matias e o marido, Vanderlan da Costa Junior, que formam o casal de cidadãos-samba da Acadêmicos do Sul da Ilha – Foto: Divulgação/ND

A educação física requer preparo e disciplina. A ginástica, mais ainda. E a maratona do samba? Como levar uma agenda tão intensa em tão pouco tempo?

Realmente, é uma temporada bem intensa. Os cuidados especiais são com a saúde e com a integridade física. Importante sempre manter um exercício físico. Por conta da maratona de ensaios, temos que estar preparados fisicamente, manter uma alimentação saudável com alimentos proteicos e nutritivos, além de muita água (hidratação nessa época tem que ser dobrada) e, se der tempo, manter o sono em dia (risos). Dormir é difícil nesse período.

Como tem sido o teu ritmo de vida desde a eleição, no dia 18 de janeiro?

Corrido (risos)! Muitos compromissos, agenda cheia, mas tô amando!

Foto: Flávio Tin/ND

Mais Conteúdo