Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.

Aumentam as mortes e as demissões em consequência do vírus.

A pesquisa da Fundação Getúlio Vargas comprova que houve um aumento nas demissões e suspensões de contratos de trabalho. Praticamente 55% das famílias brasileiras foram afetadas, incluindo os cortes de jornada e remuneração. Dados da amostragem destacam que uma em cada cinco famílias com rendimento médio de R$ 2.1 mil foram atingidas com o “vírus” do desemprego. Ou seja, a crise na economia começou prejudicando muito mais o trabalhador de remuneração baixa. Outro dado que foi sublinhado na pesquisa da FGV foi de que 45% das empresas da construção civil cortaram pessoal. Não muito distante com 40% comércio e indústria realizaram demissões. Enquanto isso no plano da saúde o Brasil, como era previsto, superou as mil mortes por dia por conta do novo coronavírus.

Mais Conteúdo