Carnaval sustentável: saiba como curtir seu bloquinho com consciência

Atualizado

Lixeiras customizadas e instaladas pela Comcap foram colocadas em pontos da cidade, como na área do Mercado Público – Foto: Anderson Coelho/ND

As festas de rua do Centro de Florianópolis são algumas das mais frequentadas da cidade durante o Carnaval. Segundo a PM (Polícia Militar), a área recebeu cerca de 150 mil pessoas só no Bloco de Sujos em 2019. Porém, conforme os foliões vão se dispersando, a paisagem que fica não é nada carnavalesca — garrafas de vidro quebradas, latinhas e sacos plásticos pelo chão.

Após um bloco de rua, na madrugada de domingo (16), funcionários da Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital) recolheram 1,5 tonelada de resíduos, que não puderam ser reciclados devido ao descarte incorreto e foram encaminhados para o aterro sanitário.

“Praticamente tudo que é consumido pelo cidadão no Carnaval é reciclável: a latinha da cerveja, o saco plástico em que se leva a latinha, garrafas. Tudo isso é reciclável, mas a partir do momento que não se dá o destino certo para esse material, ele acaba no rejeito”, alerta o presidente da Comcap, Márcio Alves. No ano passado, quase 53 toneladas de lixo foram recolhidas na região central da Capital catarinense. Por isso, este ano a autarquia preparou um material de conscientização e investiu em melhorias na estrutura para os blocos de rua e o desfile no Complexo Nego Quirido.

Cerca de 100 lixeiras — 50 cinza para rejeitos e 50 azuis para recicláveis — serão espalhadas por Florianópolis, principalmente nos bairros com blocos de rua na programação. Assim, os foliões poderão escolher onde colocar os resíduos. Outra mudança foi melhorar a sinalização desses recipientes, para facilitar a visualização deles em meio às pessoas.

Uma placa de metal, a 2,10 m de altura, irá indicar onde está a lixeira e qual tipo de material pode ser descartado nela. A customização foi feita pelos próprios funcionários da Comcap, que também reutilizaram outros materiais para produzir cinzeiros. Além disso, a rede de PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de Resíduos) de vidro será ampliada na cidade.

Leia também:

Na Nego Quirido, serão disponibilizados contentores para vidro, para rejeitos orgânicos e para lixo seco. “Nós vamos distribuir na passarela folders explicando o que é rejeito, o que não é, como e onde separar. Teremos também uma alegoria feita pelos nossos funcionários, que vai entrar na avenida para fazer a limpeza a cada intervalo do desfile das escolas de samba, e uma marchinha de Carnaval sobre a reciclagem. A ideia é fazer com que as pessoas assimilem a importância de reciclar das mais diversas formas”, explica Alves.

Confira algumas recomendações para aproveitar o bloquinho de forma mais sustentável:

  • Use a caixa térmica tanto para levar suas bebidas quanto para recolher as embalagens delas e dê o destino correto quando chegar em casa
  • Se não puder levar os resíduos de volta, procure lixeiras e descarte corretamente
  • Se ver latinhas, garrafas ou outros materiais no chão, recolha mesmo que não sejam seus
  • O vidro merece atenção especial, pois pode quebrar e ferir outro folião. Por isso, descarte na lixeira reciclável ou em um PEV de vidro
  • Evite copos e garrafas descartáveis. Use modelos reutilizáveis e gere menos lixo
  • Ainda não sabe qual fantasia usar? Crie a sua com materiais reutilizados, como retalhos de tecido, caixas de leite, tampinhas de garrafa, entre outros
  • Se você é adepto do glitter, busque opções biodegradáveis. Uma boa opção é o glitter comestível, utilizado na confeitaria
  • Um ambiente limpo é sempre mais agradável. Este ano, 300 banheiros químicos serão instalados pela cidade para uso dos foliões

Mais conteúdo sobre

Carnaval 2020