Operação Carnaval Comcap garantiu limpeza da cidade durante os dias de folia

Atualizado

Comcap recolheu 160 toneladas de resíduos durante os dias de folia na Capital – PMF/Divulgação/ND

“Vim passar o Carnaval aqui em Florianópolis porque vi vários eventos relacionados à festa na internet, nas redes sociais. Eu já tinha vindo para cá para passar o verão, mas é a primeira vez que venho pular a folia. Como estou de férias, resolvi ficar mais uns dias. Eu gostei de tudo, mas um dos fatores que mais me impressionou foi a rapidez com que as ruas e praias ficaram limpas pela manhã. Porque durante a madrugada havia muito lixo pelas ruas e, por volta de 8h, 8h30, já não havia nem sinal de sujeira. É um bom exemplo para todo o país”, afirma a empresária Giselle Costa, que mora em Londrina, no Paraná. Ela está na capital catarinense há dez dias e daqui segue viagem para Recife, no próximo domingo.

De acordo com a Comcap (Autarquia Melhoramentos da Capital), foram recolhidas 160 toneladas de resíduos nas festas das regiões Centro, Norte, Leste e Sul da Ilha, durante os 126 eventos públicos de Carnaval neste ano. Apenas no Centro da cidade, de acordo com a prefeitura, somando ruas e Passarela Nego Quirido, foram coletadas 70 toneladas de resíduos, 33% a mais do que ano passado. Desse total, 13 toneladas foram dispostas nos PEVs (pontos de entrega voluntária) de Vidro, de modo que puderam ser encaminhadas para a reciclagem. A coleta seletiva de vidro no Carnaval teve, portanto, um crescimento de 108% em relação ao ano passado.

“Neste ano colocamos grandes lixeiras, separadas por materiais, nos pontos onde houve festa, para que os resíduos tivessem a destinação correta. Mesmo assim, era grande o volume de lixo durante as festas de Carnaval. Mas com o trabalho da Comcap durante os dias de folia, que varreu e lavou as vias, todos encontraram a cidade limpinha e linda pela manhã. O trabalho continua agora e é muito importante que todos se conscientizem sobre a importância de reciclar os resíduos. Estamos a caminho de alcançar a meta Floripa Lixo Zero 2030 e a colaboração de todos é muito importante para conquistarmos esse objetivo e, assim, fazer a nossa parte na preservação do meio ambiente”, afirma o prefeito da Capital, Gean Loureiro. Em 2020, foram instalados 100 latões identificados, 50 para rejeito e 50 para recicláveis, além dos contentores de 2,5 mil litros para embalagens de vidro.

No Centro da cidade, somando ruas e Passarela Nego Quirido, foram coletadas 70 toneladas de resíduos, 33% a mais do que ano passado -PMF/Divulgação/ND

Conscientização na folia

As latinhas de alumínio, explica a Comcap, geralmente são catadas durante a festa por informais. O vidro separado nos PEVs foi doado pela autarquia para a ACMR ( Associação de Coletores de Materiais Recicláveis).

Garrafas pet e plásticos dos fardos de latinha, além de copos e outros utensílios descartáveis formam a grande massa de resíduos que, infelizmente, por não terem sido separados pelos foliões seguiram para o aterro sanitário ao custo de R$ 160 a tonelada, informa o presidente da Comcap, Márcio Alves. Até restos de fantasia neste ano foram recuperados diretamente pelas próprias escolas ou, depois, das caixas estacionárias por catadores. “Há muito resíduo que poderia ter sido separado pelos foliões, mas demos um primeiro passo importante ao oferecer equipamento de coleta seletiva e mostrar que é preciso reciclar os hábitos”, comenta Márcio Alves. Depois que o resíduo vai para o chão, vira rejeito.

Reconhecimento aos trabalhadores

A Comcap mobilizou 250 trabalhadores diretamente na limpeza das festas públicas, realizou operação de forma ágil e competente de modo que a cidade amanheceu limpa e cheirosa durante o Carnaval, elogia o presidente. “Gostaria de, ao mencionar Luciana Camargo, gerente da Base Operacional Centro, destacar o esforço físico e logístico que a Comcap realizou para que este fosse possivelmente o maior e o mais limpo Carnaval de Florianópolis”, afirma Márcio Alves.

A limpeza também foi feita nas festas do Norte, Sul e Leste da Ilha de Santa Catarina, com muita precisão e competência. Trabalharam ainda no Carnaval as equipes da coleta e remoção, para recolher os resíduos das festas e dos domicílios. Equipes da educação ambiental e, este ano, inclusive das oficinas do Departamento de Manutenção e Transporte (DPMT) e do Centro de Valorização de Resíduos (CVR) que produziram os latões para coleta seletiva e a alegoria da bernunça, mascote da Comcap, que desfilou na Passarela Nego Quirido no sábado.

Neste ano a Comcap, além disso, cuidou da limpeza dos camarotes da passarela, por meio de contrato remunerado pela empresa organizado do evento. A direção da Comcap determinou que seja apontada na ficha funcional de cada empregado uma menção de aplauso e reconhecimento pelo trabalho desempenhado no Carnaval 2020.

Foram mobilizados 250 trabalhadores diretamente na limpeza das festas públicas no Carnaval 2020, apontam dados da Prefeitura de Florianópolis – PMF/Divulgação/ND

Aumenta coleta de recicláveis

Durante os dias de Carnaval, o Departamento de Coleta de Resíduos Sólidos recolheu nos domicílios de Florianópolis 64,6 toneladas de materiais recicláveis registrando aumento de 6,7% na coleta seletiva. A coleta convencional recolheu 2,26 mil toneladas de rejeito ligeiramente abaixo da quantidade do ano passado (2,3 mil toneladas).

A coleta de recicláveis pela Comcap aumentou 13,47% em 2019, em contraste com a coleta convencional (rejeito) que estacionou em zero por cento, interrompendo a tendência de alta entre 3% e 6% das últimas décadas.
“Os dados demonstram que o cidadão tem participado do esforço Floripa Lixo Zero 2030 proposto pela Prefeitura de Florianópolis”, aponta o presidente da Autarquia de Melhoramentos da Capital Comcap, Márcio Alves.

Os ganhos com a coleta seletiva já somam R$ 8 milhões ao ano entre o que a Prefeitura de Florianópolis deixa de gastar com aterro sanitário e a renda proporcionada para 11 associações de triadores da Grande Florianópolis.
A coleta seletiva de recicláveis secos e orgânicos da Comcap movimentou 17.575 toneladas de resíduos em 2019. Em 2018, foram 15.489 toneladas. “Mais importante é que esse aumento na seletiva ocorreu ao mesmo tempo em que a convencional estacionou. Significa que o usuário do sistema atendeu ao apelo para separar mais e melhor”, festeja o presidente.

Economia circular e ganhos ambientais

Ao mudar o destino dos resíduos do lixo para a reciclagem, o cidadão promove a economia circular, com ganhos ambientais e sociais, e reduz custos públicos com aterro sanitário. Os recicláveis secos são doados às associações de triadores e por elas reinseridos na indústria. Os resíduos orgânicos compostados servem para ajardinamento e hortas urbanas.

O material encaminhado para reciclagem permite ganhos sociais da ordem de R$ 8 milhões ao ano se for somado o que a Prefeitura de Florianópolis deixa de gastar com o transporte até o aterro e o valor revertido pelas associações ao comercializar o material para a indústria. Foram 13.483 toneladas de recicláveis secos doadas para associações de triadores que deixaram de custar R$ 2 milhões de aterro (R$ 161 a tonelada) e promoveram receitas de R$ 4,9 milhões na venda para a indústria (em média R$ 381 a tonelada triada e comercializada pela ACMR).

Os resíduos orgânicos que, por terem sido separados pela população deixaram de ir para aterro sanitário, permitiram economia de R$ 655 mil em redução de custos públicos e geraram ao mínimo R$ 448 mil em valor, levando em consideração o preço público da Comcap para cepilho ou composto que é de R$ 0,11 o quilo. O cepilho e o composto  têm sido doados para ações de agricultura urbana.

Quantidade recolhida por região

CENTRO

Carnaval 2019

52,8 toneladas, sendo 6,3 toneladas dos pontos de entrega de vidro (PEVs) encaminhados para reciclagem

Carnaval 2020

70,3 toneladas, incluindo 13 toneladas dos pontos de entrega de vidro (PEVs) encaminhados para reciclagem
Aumento de 33% na quantidade de resíduos coletados nas festas do Centro este ano.
Aumento de 108% na coleta seletiva de vidro nos pontos de entrega voluntária (PEVs)
72 pessoas revezaram-se na limpeza nos turnos da manhã, tarde e noite

BALNEÁRIOS

LESTE

19 toneladas de resíduos – 35 pessoas limparam as festas públicas na Lagoa da Conceição, Joaquina, Praia Mole, Barra da Lagoa, Rio Vermelho, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui

NORTE

54,6 toneladas de resíduos – 40 pessoas trabalharam na limpeza das festas de Carnaval

SUL

6,3 toneladas de resíduos – 28 pessoas trabalharam na limpeza das festas no Pântano do Sul, Armação e Campeche.

CONTINENTE

9 pessoas trabalharam na limpeza das festas públicas de Carnaval.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Carnaval 2020