Águia de Ouro conquista título inédito do Carnaval de São Paulo

Apuração aconteceu nesta terça-feira e teve a Mancha Verde como segunda colocada numa disputa acirrada entre as escolas

A Águia de Ouro conquistou nesta terça-feira, 25, seu primeiro título do carnaval paulistano, com um dos enredos mais politizados dos dois dias de desfile no Anhembi. Para falar sobre “o poder do saber”, a Águia de Ouro abordou benefícios e problemas do conhecimento em 26 alas.

Desfile da Escola de Samba Águia de Ouro, válido pelo Grupo Especial do Carnaval 2020, realizado no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo, neste domingo (23). 23/02/2020 – Foto: PAULO GUERETA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO/NDDesfile da Escola de Samba Águia de Ouro, válido pelo Grupo Especial do Carnaval 2020, realizado no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo, neste domingo (23). 23/02/2020 – Foto: PAULO GUERETA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO/ND

Embora abordasse o tema da tecnologia, a escola trouxe algumas alegorias tradicionais, mas muito alegres. A escola da Pompeia estava entre as primeiras desde o início da apuração, mas só assumiu a liderança na penúltima categoria.

Logo no começo, quatro dinossauros mecânicos eram operados manualmente. Também houve carros mais modernos e com telões, em menor número. Destaque para o retrato da bomba de Hiroshima (com cogumelo atômico feito de lã de aço). Em outro carro, a velha guarda e as crianças da Águia frequentavam uma escola. Nele, foi escrita uma frase de Paulo Freire: “Não se pode falar de educação sem amor”.

A história da campeã da Pompeia começa com integrantes do Faísca de Ouro, que até então pulavam o carnaval na cidade de Tietê no interior de São Paulo desfilando por blocos carnavalescos da região, começaram a se organizar para dar origem à uma escola de Samba em São Paulo, eram eles: Gilson Carriuolo Antonio, Valdemar (Maíco) e José Luiz (Bolão). Assim surgia em 1976 o G.R E.S. Águia de Ouro.

O desfile foi na maior parte do tempo liderado pela Acadêmicos do Tatuapé, que venceu a apuração em 2017 e 2018, seguida pela Mancha Verde (campeã de 2019). Tudo mudou no quesito Alegoria. O julgador Marco Antônio Cardoso, de Alegoria, teve as notas anuladas porque ele foi flagrado sambando durante o desfile da Tatuapé. Dessa forma, esse quesito teve apenas três avaliadores, sem descarte.

A grande decepção, porém, foi a Gaviões da Fiel, que trouxe o carnavalesco Paulo Barros para São Paulo. Após uma morna recepção na avenida, o desfile não foi bem avaliado pelos julgadores e a agremiação chegou a ficar a ponto de ser rebaixada até o penúltimo quesito.

Confira abaixo o samba da campeã, com “O poder do saber: Se saber é poder, quem sabe faz a hora, não espera acontecer”:

Águia em suas asas vou voar
E no caminho da sabedoria
Páginas da história desvendar!
Sou eu… No elo perdido um desbravador!
O tempo é o meu senhor
Em busca da evolução…
Criar e superar limites da imaginação
A mente dominar
Jamais deixar de Acreditar!
Brincar de Deus…Recriar a vida
Desafiar, Surpreender!
Na explosão a dor, uma lição ficou
Sou aprendiz do criador!
Em cada traço que rabisco no papel
Vou desenhando o meu destino
No horizonte vejo um novo alvorecer
Ao mestre meu respeito e carinho
É nova era, o futuro começou
É tempo de paz, resgatar o valor!
Águia…Razão do meu viver
Berço que Deus abençoou
Nada se compara a esse amor
Meu Coração é Comunidade
Faz o sonho acontecer!
Pompéia guerreira, chegou sua hora
Seu manto reluz o poder do saber É preciso saber viver