Multidão acompanha cortejo de bonecos gigantes na abertura da folia em Florianópolis

Berbigão do Boca agitou o Centro da cidade com muita música, cultura ilhéu e o tradicional desfile de bonecos, dando início à programação de Carnaval na Capital Catarinense

A folia tomou conta do Centro de Florianópolis nesta sexta-feira (14), quando o Berbigão do Boca deu o pontapé inicial na programação de Carnaval da Capital catarinense.

Cortejo dos bonecos gigantes no bloco do Berbigão do Boca – Foto: Flavio Tin/ND

Com direito a concurso gastronômico, atrações musicais e roda de rendeiras, o bloco divertiu moradores e turistas que passaram pela avenida Paulo Fontes, em frente ao Largo da Alfândega, para conferir a 28ª edição do evento.

“Serão mais de 150 atividades de hoje até a quarta-feira de Cinzas, em todos os bairros, praticamente. A gente vai movimentar mais de 1 milhão de foliões, o que impacta na economia da cidade”, destacou o superintendente de Turismo, Vinícius de Lucca.

Cortejo dos bonecos gigantes no Centro de Florianópolis – Foto: Flavio Tin/ND

Após uma tarde de muitas atrações, os foliões ganharam as ruas com o tradicional desfile de bonecos. Em 2020, o homenageado retratado pelo artista plástico responsável pelas esculturas, Allan Cardoso, foi o eterno Rei Momo Hernani Luís Barbosa, o Hernani Hulk.

“Movimento foi muito maior do que todos os anos, é a festa do nosso Carnaval. A gente tem muita alegoria, animação e a população vem assistir. Está acima da expectativa”, disse o diretor e fundador do bloco, Leonardo Garofallis, o Nado.

PPrefeito de Florianópolis, Gean Loureiro entrega a chave da cidade para o Rei MomoMarcos Willerding. Na foto com a corte do Carnaval – Foto: Alan Carvalho/Divulgação/ND

A festa começou ao meio-dia, com a apresentação da corte do Carnaval 2020 e das novas alas do bloco — passistas plus size e ex-rainhas do Carnaval e do Berbigão do Boca.

A alegria e o samba no pé contagiaram o público. Logo em seguida, chegou a hora de se deliciar com os pratos de berbigão preparados para o festival gastronômico.

Tradição da chave

Seguindo a tradição, o prefeito de Florianópolis Gean Loureiro entregou a chave da cidade ao Rei Momo Marcos Willerding.

“Receber a chave do prefeito diante dos foliões foi emocionante, uma responsabilidade muito grande. Com certeza ela está bem guardada e nós estaremos comandando a folia até o aniversário de Florianópolis”, completou o Rei Momo.

No meio da multidão estava o casal Victoria de Oliveira Silva, 31 anos, e Emanoel Spanhol, 32. Eles vieram de Blumenau para curtir o Berbigão.

“É a primeira vez dela no bloco, mas eu já tive a oportunidade de vir outras vezes. Este ano está muito bom, bem organizado, e o legal é que os bonecos estão aqui no meio do pessoal”, disse Emanoel.

Victoria de Oliveira Silva e Emanoel Spanhol – Foto: Marina Simões/ND

Para encerrar com chave de ouro, às 19h, foliões e os 40 bonecos do Berbigão do Boca saíram em cortejo pelas ruas da região central. O desfile partiu da igreja São Francisco de Assis, na esquina das ruas Felipe Schmidt e Deodoro.

De lá, os participantes espalharam a alegria do Carnaval pela rua Tenente Silveira e seguiram cantando o hino-enredo do bloco enquanto desciam a rua Arciprestes Paiva — ao lado da Praça 15 de Novembro. A caravana retornou ao palco da festa, instalado na avenida Paulo Fontes, onde a diversão continuou até a meia-noite.

Inspirado no Bacalhau do Batata, de Olinda, o Berbigão do Boca foi fundado por sete amigos que queriam animar a população de Florianópolis para o Carnaval. Todos os anos o bloco presta homenagem a personalidades já falecidas, que têm relevância para o Carnaval e para a cultura popular de Florianópolis.