Garagem 360

Blog automotivo focado em serviços. Novidades, dicas e informações para manter o seu carro sempre em perfeitas condições de uso.


6 dicas de manutenção dos freios que você nem sempre dá importância

6 dicas de manutenção dos freios que você nem sempre dá importância - Foto: Pixabay

6 dicas de manutenção dos freios que você nem sempre dá importância - Foto: Pixabay

Andar com o carro pelas ruas exige que se cuide da mecânica, mas, boa parte dos motoristas negligenciam essa etapa, principalmente quando se trata da manutenção dos freios.

É comum pensar que é preciso apenas trocar o óleo com frequência e o que o freio só deve ser pensando quando estiver apresentando algum problema ou falhando. Por conta desse pensamento é que ocorrem muitos acidentes de trânsito, quando se mais precisa parar o carro os freios falham.

Esse problema poderia ser evitado com cuidados básicos e preventivos, por isso, veja algumas dicas de como fazer a manutenção dos freios.

1. Troque as pastilhas de freios

De acordo com a AUTO-DOC.PT, as pastilhas também são conhecidas como placas de travão e pastilhas de travão que permitem a fricção com o disco de freio e fazem o carro desacelerar ou parar. Com o tempo, a superfície fica gasta ou vitrificada e perde sua aderência.

A manutenção dos freios visa verificar essas condições e sempre que não estiver adequada é recomendada a troca.

Existe uma orientação em relação ao prazo para a troca da peça, porém ele pode variar de acordo com a quantidade de tempo que se anda com o carro.

2. Faça a manutenção dos freios em oficinas de confiança

Não opte por fazer o serviço com um mecânico que não possui referência ou uma pessoa sem conhecimento técnico necessário apenas porque o preço está mais em conta. Por falta de experiência essas pessoas podem não fazer uma verificação e manutenção correta.

Sempre que for fazer qualquer verificação no veículo, procure por lojas credenciadas que sejam vinculadas à montadora ou que tenham boa reputação e ofereçam garantias.

O profissional precisa saber o que está fazendo e ter conhecimento suficiente para saber quando é hora de substituir uma peça e como isso deve ser feito a fim de garantir a segurança.

3. Não faça a retífica de discos

Se o disco de freio estiver com algum problema, a melhor opção é sempre substituir, principalmente se houver algum tipo de trinca. Nesse caso, se for fazer a retífica pode só agravar a situação e deixar a peça ainda mais irregular.

Quando os componentes do sistema de freio apresentam algum problema, deve-se fazer a substituição por itens novos, nunca tentar recuperar, até porque pensando em valores a diferença é bem pequena.

4. Cuide do fluido de freio

O fluído é um óleo desenvolvido para o sistema de frenagem que ajuda a transferir a força da frenagem para os pneus. Quando ele não está na viscosidade ou quantidade correta, pode apresentar falhas de funcionamento.

A cada 30 dias deve ser feita a verificação para saber se ele está no nível adequado e se sua consistência ainda está boa.

A recomendação é que a troca seja feita a cada 10 mil km rodados, porém, em alguns casos, pode ser necessário antecipar.

Existem alguns indícios de que está na hora de fazer a substituição dos fluidos, como alterações na altura e sensibilidade dos pedais. Se esse for o caso, leve o carro a uma oficina.

5. Prefira as peças originais

Na hora de substituir o sistema e fazer a manutenção dos freios é preciso ficar atento ao tipo de peça que será usada.

As peças paralelas podem parecer atrativas devido aos preços mais baixos, porém não foram desenvolvidas especificamente para o seu tipo de veículo e não são certificadas pela montadora. Se for optar por elas, pelo menos verifique se possuem o selo do Inmetro.

A dica é sempre preferir as peças originais, apesar de serem um pouco mais caras, pois duram por mais tempo e trazem um pouco mais de tranquilidade para quem está no volante.

6. Fique atento aos sinais

Já foi mencionado que alguns sinais podem indicar que está na hora de trocar o fluido de freio, porém é possível identificar outros problemas nesse sistema por meio de outros indicativos.

Além das alterações nos pedais com eles muito baixos ou duros é possível notar barulhos como se fossem ferros batendo e trepidação anormal do volante, mesmo quando se está em uma pista regular.

Ao perceber esses sinais, não deixe de ir ao mecânico para verificar o que está acontecendo com o carro.

Para que não precise chegar ao ponto de observar os sinais de problemas para frenagens ou ter falhas nesse sistema, crie o hábito de fazer as manutenções dos freios periodicamente.