Garagem 360

Blog automotivo focado em serviços. Novidades, dicas e informações para manter o seu carro sempre em perfeitas condições de uso.


Artigo: a transformação do setor automotivo e os prováveis desdobramentos no pós-pandemia

Artigo: a transformação do setor automotivo e os prováveis desdobramentos no pós-pandemia - Foto: PixabayArtigo: a transformação do setor automotivo e os prováveis desdobramentos no pós-pandemia - Foto: Pixabay

em>Por Flávio Passos*

A covid-19 trouxe diversas mudanças para a vida dos brasileiros, exigindo adaptações a uma nova realidade dentro e fora de casa. Algumas pessoas tiveram a oportunidade de atuar em home office e aderir às compras online, porém parte da população não teve escolha e precisou manter sua rotina diária e sair para trabalhar. Dentre tantas situações particulares de cada um, é notável a mudança de perfil e comportamento em relação à locomoção.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Os usuários habituais de transporte público passaram a se mostrar mais inseguros pelo risco de contaminação. A geração Z, de 18 a 25 anos, que era mais inclinada ao uso de veículos de aplicativos e menos à posse, começou a considerar a aquisição de um veículo. As pessoas que perderam os empregos e viram o trabalho como motorista de aplicativo ou delivery como uma possibilidade de renda também sentiram necessidade de possuir um veículo.

Se durante a pandemia houve essa demanda, por que o mercado de automóveis foi um dos mais afetados?

O setor automotivo vinha se recuperando desde 2018. Com a pandemia, a pausa na produção de veículos novos, que levou à redução dos estoques nas concessionárias, associada à diminuição de renda ou insegurança dos possíveis compradores, seja pelo desemprego ou pela redução da jornada de trabalho, fez com que o mercado ficasse 28,1% abaixo do volume de vendas no acumulado dos onze primeiros meses do ano em relação ao ano passado. Os dados são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Em contrapartida, com os baixos números do mercado de veículos novos, as mudanças de perfil e o comportamento da população impulsionaram fortemente a venda de carros usados. Além disso, como 40% dos veículos seminovos vendidos são financiados, a redução da taxa de juros aumentou o acesso ao crédito. Segundo a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (FENAUTO), o setor de carros seminovos e usados está em recuperação.

Em outubro, o resultado nas vendas ficou 5% maior em relação a setembro e 9,1% maior em comparação com o mesmo mês de 2019. Isso porque esses tipos de veículos podem apresentar algumas vantagens. Além da grande variedade de marca, modelo e ano, os preços podem ser bastante atraentes se comparados aos zero-quilômetro, que perdem valor de revenda logo que saem da fábrica. Um carro usado completo, por exemplo, pode ter o mesmo valor que um novo sem opcionais. Além disso, o seguro é mais barato.

LEIA MAIS: Conheça as diferenças dos pneus run flat
Veja dicas para proteger a pintura do carro do calor e das chuvas

Para adquirir um veículo usado, é necessário ter alguns cuidados que nem sempre são primordiais ao comprar um novo, como solicitar o histórico para checar as condições do carro, verificar a placa e o Renavam para se certificar de que o vendedor é o proprietário legítimo e negociar diretamente com ele, sem intermediários. Além disso, contratar um laudo veicular numa vistoria credenciada pelo Detran trará informações mais detalhadas, como a avaliação de câmbio, motor, pintura, rodas, histórico de batidas, entre outras dezenas de itens, além da certeza de que o chassi não foi alterado.

A pergunta que fica é: diante de tantas mudanças, quais delas ficarão no pós-pandemia? A projeção da Bright Consulting, que contou com dados da Anfavea e Fenabrave, é de que somente em 2022 o volume de vendas de veículos novos retorne aos níveis de 2019. Dada essa retomada lenta e gradual da produção e distribuição dos veículos novos, que deve ter acréscimo inferior a 10% ano contra ano em 2021, a demanda por modelos usados deve se manter em alta no ano que vem.

*Flávio Passos é vice-presidente de Autos e Comercial da OLX. Tem mais de 20 anos de carreira e ampla experiência no mundo digital e na indústria automotiva. Possui graduação em Engenharia Civil pela UFMG e é pós-graduado em Finanças pelo Ibmec. Trabalhou em multinacionais como Citibank, Latam Airlines, Avis Budget Group e Webmotors.