Garagem 360

Blog automotivo focado em serviços. Novidades, dicas e informações para manter o seu carro sempre em perfeitas condições de uso.


Venda de veículos novos começa 2021 em queda

Venda de veículos novos começa 2021 em queda - PixabayVenda de veículos novos começa 2021 em queda - Pixabay

A Fenabrave divulgou na última terça-feira (2) os dados das vendas de veículos novos em janeiro de 2021. E os resultados do primeiro mês do ano foram negativos. Comparado a janeiro de 2020, os segmentos de automóveis e comerciais leves tiveram queda de 11,70% (162.567 emplacamentos contra 184.112). Porém, a retração é ainda maior se comparada a dezembro de 2020, já que as vendas diminuíram 30,17% (232.795 emplacamentos).

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Venda de veículos novos

Segundo Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, a pandemia da covid-19 e as dificuldades no fornecimento de peças que o setor tem enfrentado são alguns pontos que explicam a queda nas vendas. “Já vínhamos acompanhando as dificuldades que as montadoras, de forma geral, estão enfrentando com relação ao fornecimento de peças e componentes. Este gargalo se intensificou em janeiro, diminuindo, ainda mais, a oferta de produtos. Outros fatores relevantes impactaram nos resultados, como a segunda onda da pandemia da covid-19. Regionalmente, tivemos fatos negativos, como os criados pelo Governo do Estado de São Paulo, que, em plena pandemia, aumentou o ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – para veículos novos e usados”, afirma.

LEIA MAIS: Ano Novo: Toyota lança Corolla 2022 com leves mudanças de equipamentos

Novo MINI elétrico chega ao Brasil no primeiro semestre de 2021

Além desses pontos, o presidente da Fenabrave diz que a queda nas vendas em janeiro pode estar relacionada ao aumento de despesas do primeiro mês do ano. “Historicamente, o mês de janeiro costuma apresentar uma pequena retração nas vendas, já que os gastos das famílias aumentam nesse primeiro mês do ano, com matrículas e materiais escolares, IPVA, entre outras despesas. Além disso, alguns modelos estão com pouca disponibilidade no mercado, em função da falta de componentes, o que tornou previsível a queda nas vendas desses segmentos” disse.