Após infecção, mãe de soldado vítima de mega-assalto em SC pede ajuda para casa adaptada

Jeferson Luiz Esmeraldino, de 32 anos, passou por três cirurgias e vive com sequelas após assalto em Criciúma

A família do soldado Jeferson Luiz Esmeraldino, de 32 anos, baleado durante o mega-assalto a banco em Criciúma, em dezembro de 2020, pede ajuda para construir uma casa adaptada. Após sequelas neurológicas, o policial precisa de cuidados constantes.

O policial Jeferson Luiz Esmeraldino foi baleado durante assalto a banco em Criciúma – Foto: Reprodução/Redes SociaisO policial Jeferson Luiz Esmeraldino foi baleado durante assalto a banco em Criciúma – Foto: Reprodução/Redes Sociais

A mãe de Esmeraldino, Sandra Aparecida Nunes, organiza uma campanha com o apoio de policiais militares, além de engenheiros e arquitetos voluntários. A empresa Audax Construções irá gerenciar a obra. No entanto, os custos de mão de obra precisam ser pagos.

O soldado mora, atualmente, na casa de Sandra, mas a mãe conta que não é possível deixá-lo confortável onde está. “Não tem condições de permanecer muito tempo porque é uma sala fria, sem adaptação nenhuma, e ele já teve uma infecção pulmonar devido à friagem”, detalha. “Ele precisa de um quarto de UTI.”

Esmeraldino está respondendo bem aos tratamentos, que incluem  enfermagem, nutrição, fisioterapia, e fonoaudiologia. Porém, ele ainda não tem condições de deglutição e usa gastrectomia para alimentação e hidratação durante todo o tempo.

As despesas médicas são custeadas pelo Estado, com as indenizações previstas na legislação. No dia 26 de março, o policial foi reformado por incapacidade física permanente.

Construção da casa e doações

“Temos uma casa velha, com fiações antigas”, conta Sandra. “O que eu posso oferecer é amor, que ele tem muito, muito amor, mas conforto eu não tenho. Por isso peço ajuda, porque ele precisa.”

Ele também é pai de uma menina de 5 anos, que mora com a ex-esposa do soldado. As doações podem ser realizadas em uma conta criada exclusivamente para receber a ajuda financeira, que será gerenciada por Sandra.

Após a conclusão da obra, Sandra Nunes e o grupo de voluntários, farão a prestação de contas e divulgação de todos os recursos e materiais usado na construção.

“Qualquer valor que estiver disponível, que possa ajudar, vai ser bem-vindo para recuperação dele. Com mais conforto e segurança, que é o que a gente quer oferecer.”

Dados para doação

Sandra Aparecida Nunes
Caixa Econômica Federal
Agência: 0425
Conta-Poupança: 935972616
Dígito: 3
Tipo: 1
Chave Pix: 96661178949

Lembre o caso

Na madrugada do dia 1º de dezembro de 2020, a cidade de Criciúma foi sitiada por 30 assaltantes, fortemente armados, e que estavam em 10 veículos de luxo.

O capítulo ficou conhecido nacionalmente e foi o maior assalto da história de Santa Catarina. Além disso, um caminhão foi lançado em frente ao 9º Batalhão da Polícia Militar e atearam fogo para impossibilitar a atividade da tropa.

Esmeraldino foi atingido no abdômen durante a troca de tiros com os criminosos. O projétil acertou o fígado e o estômago do militar. Por conta disso, ele precisou passar por três cirurgias e ficou internado em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por 30 dias. Ele teve alta no dia 5 de fevereiro.

+

Cidadania