Karina Manarin

Com foco em notícias de política, o blog traz todos os dias também as informações do cotidiano e que interferem diretamente na vida das pessoas de todo o Sul Catarinense.


Conferência no Sul apresenta detalhes sobre o primeiro ônibus 100% elétrico do Brasil

Evento acontece na Unesc e pretende promover reflexão sobre o conceito cidades inteligentes e a sustentabilidade socioeconômica e ambiental das cidades da região.

Detalhes sobre o primeiro ônibus articulado 100% elétrico do Brasil, produzido pela montadora chinesa BYD em parceria com a Marcopolo, serão apresentados em conferência na Unesc, Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina nesta sexta-feira. O evento pretende promover reflexão sobre o conceito smart cities (cidades inteligentes) e a sustentabilidade socioeconômica e ambiental das cidades da região.

Conferência acontece no Campus da Unesc nesta sexta-feira – Foto: Campus Unesc/Divulgação NDConferência acontece no Campus da Unesc nesta sexta-feira – Foto: Campus Unesc/Divulgação ND

A conferência  será realizada pela Associação Brasileira de Indústria, Comércio e Inovação na China (BraCham), com o apoio da Unesc.

De acordo com os fabricantes, o ônibus possui 22 metros de comprimento, baterias de fosfato ferro lítio e autonomia de até 250 quilômetros. O modelo comporta 168 passageiros e possui um sistema inovador de biossegurança, além de outras tecnologias.

Com início às 13h30, no Auditório Ruy Hulse, no campus universitário, o evento vai reunir lideranças políticas e empresariais de projeção estadual e nacional para debaterem o tema “Os desafios do gerenciamento do clima nas grandes cidades”. A abertura da conferência terá palestra com o secretário executivo de mudanças climáticas de São Paulo, Antônio Fernando Pinheiro Pedro.

“Vamos conhecer e avaliar os impactos que a mudança de matriz energética dos veículos tem para o meio-ambiente e para a sociedade. Uma pauta de grande relevância na atualidade e com potencial geração de oportunidades de negócios sustentáveis para a região”, afirma a diretora executiva da BraCham, Lourdes Cristina Printes.

No rol de painelistas estão a diretora executiva da BraCham, Lourdes Cristina Printes; o diretor de inovação e tecnologia da BraCham, Everton dos Santos; o representante diplomático da embaixada brasileira em Pequim, José Roberto de Andrade Filho; o presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) e Novos Negócios da montadora chinesa BYD, Adalberto Felício Maluf Filho; o diretor da Marcopolo, Luciano Resnner; o diretor executivo da Mobicaxias, Rogério Rodrigues; o diretor de projeto e desenvolvimento da Vinema Biorefinarias do Sul, Vilson Neumann Machado; e o senador Esperidião Amin.

“Todos as temáticas relacionadas ao desenvolvimento socioeconômico, cultural e ambiental da região são de interesse de uma Universidade Comunitária, como a Nossa Unesc, por isso agradecemos à BraCham por ter escolhido a Universidade para promover esse importante debate sobre caminhos sustentáveis para a mobilidade urbana”, pontua a reitora Luciane Ceretta.

A BraCham é uma instituição sem fins lucrativos que conta, atualmente, com mais de 130 empresas e instituições brasileiras e chinesas dos mais variados segmentos. Sem vínculo político, partidário ou ideológico, conta com o apoio do Consulado Geral Brasileiro, e tem como objetivos integrar, fomentar negócios, reduzir custos, trocar conhecimentos e promover intercâmbio tecnológico, de negócios e cultural entre os países.

Despertar a mentalidade das pessoas para a criação de soluções, ideias e negócios sustentáveis é o objetivo da linha temática smart cities, que integra um dos nove hubs de inovação do ecossistema da Unesc. A proposta, que conta com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc), é coordenada pelo professor Gustavo Bisognin.

“Estamos estudando e fazendo interlocuções com diversas cidades do mundo que são referência dentro dessa proposta, como Barcelona, por exemplo. A base de uma cidade inteligente é a conectividade e queremos demonstrar isso na prática, por meio da implantação de um piloto sustentável dentro do campus”, explica.

Com a validação do modelo, a ideia é transferir o conhecimento às cidades da região, possibilitando a transformação digital e, com ela, a sustentabilidade do ambiente de vida.

“A tecnologia abriu as portas de um novo mundo e a Universidade é o ambiente ideal para o diálogo e a reflexão sobre formas de aproveitarmos esse avanço para promover o desenvolvimento sustentável da região, o que passa pelo meio-ambiente, social, economia, entre outros aspectos”, comenta a pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Silveira Coelho Lopes.

Loading...