João Paulo Messer

messer@ndtv.com.br Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Criciúma parece ter encontrado jeito de enfrentar crescimento de pedintes nas sinaleiras

Abordagens tão frequentes quanto a presença dos pedintes em pontos da cidade oferecem oportunidade de emprego ou passagem de retorno à cidade de origem

Após inúmeras campanhas de conscientização para que a população não dê esmolas ou compre produtos de pedintes nas sinaleiras, os assistentes sociais do município de Criciúma parecem ter encontrado uma prática mais eficiente para diminuir as abordagens sofridas pelos motoristas. Tão insistentes quanto os pedintes, os agentes municipais abordam-nos oferecendo alternativas como emprego ou passagem de retorno à cidade de origem. Tem dado certo.

O secretário Bruno Souza (esquerda), que é advogado, acompanha abordagens à população em situação de rua. – Foto: Divulgação.O secretário Bruno Souza (esquerda), que é advogado, acompanha abordagens à população em situação de rua. – Foto: Divulgação.

Os agentes abordam os pedintes oferecendo oportunidade de trabalho que é dada através de um chamado “Balcão de Empregos”. Quando ocorrem estas ações, menos de 10 por cento dos abordados comparecem. Ato seguinte os agentes voltam às abordagens e ao encontrar os que faltaram ao encontro são mais incisivos e assim, insistentes, fazem com que muitos mudem de cidade por opção própria ou aceitam a passagem para mudar de cidade, sendo que a indicação é retornar às cidades de origens. Há casos de transferências para fora do Estado.

Neste sábado (18) haverá mais uma oportunidade para quem busca um emprego. Será na Praça Nereu Ramos, das 9h às 12h. Serão 150 vagas de auxiliar de produção (não há exigência de qualificação).

O setor de Recursos Humanos será responsável pelas entrevistas no dia da ação. Os profissionais de RH avaliam se os candidatos se encaixam nos requisitos de contratação. Os candidatos terão a possibilidade de contratação no momento da entrevista.

O secretário de assistência social, Bruno Ferreira garante que as abordagens são feitas sem ferir o direito a liberdade das pessoas, mas oferecendo uma oportunidade de inserção na sociedade produtiva.

Nas sinaleiras da cidade é flagrante o sucesso da ação. A constatação é de que a insistência dos agentes nas abordagens vence muitos pelo cansaço. Emprego formal há disponível e o principal argumento dos pedintes é que estão desempregados. Assim, orientados os motoristas já questionam os que lhes abordam sobre porque não aproveitam as oportunidades oferecidas, já que a campanha é amplamente divulgada.

Loading...