João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Morre o “manezinho” admirado em Criciúma e Curitiba

Arquiteto Manoel Coelho é autor de projetos como o da prefeitura de Criciúma

Morreu, em Curitiba nesta quinta-feira (4), o manezinho da Ilha Manoel Coelho, arquiteto que residia na Capital paranaense. Sua relação com Santa Catarina vai muito além do fato de ter nascido em Florianópolis.

Entre as suas grandes obras, estão a sede do Poder Executivo, a Praça Nereu Ramos, o Teatro Elias Angeloni, o Monumento das Etnias e até mesmo o distintivo do clube da cidade em Criciúma, no Sul do Estado.

Arquiteto Manoel Coelho nasceu em Florianópolis – Foto: Arquivo pessoalArquiteto Manoel Coelho nasceu em Florianópolis – Foto: Arquivo pessoal

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, e o presidente do Criciúma Esporte Clube, Anselmo Freitas, lamentaram a morte do arquiteto destas obras admiradas pela modernidade, como destacou o chefe do poder executivo.

Sede do governo de Criciúma foi criado por Manoel Coelho – Foto: Prefeitura de CriciúmaSede do governo de Criciúma foi criado por Manoel Coelho – Foto: Prefeitura de Criciúma

Coelho morreu aos 80 anos em consequência de um câncer que atingiu a bexiga e o fígado. Ele nasceu em Florianópolis em uma casa tombada, no Largo da Alfândega.

Membro da primeira turma do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Coelho construiu sua carreira impulsionada pela parceria com o também arquiteto Jaime Lerner, quando prefeito de Curitiba. Por isso, participou de diversas obras no Paraná. Ao longo da carreira recebeu dezenas de homenagens.