Número de famílias em fila de adoção em SC é 12 vezes maior que a quantidade de crianças

Evento em Florianópolis nesta quarta-feira (25) irá discutir a adoção sem romantismo e apadrinhamento afetivo como ferramenta de inclusão

Um evento em Florianópolis irá discutir a adoção sem romantismo. A data escolhida foi a próxima quarta-feira (25), dia nacional da adoção. O assunto é de extrema importância se se considerar os números relacionados à temática. Segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), há três mil pessoas na fila de adoção para cerca de 249 crianças e adolescentes. O número é 12 vezes maior que as crianças consideradas aptas para adoção no Estado.

Evento em Florianópolis terá lançamento de livro, plataforma e discussão sobre adoção – Foto: PixabayEvento em Florianópolis terá lançamento de livro, plataforma e discussão sobre adoção – Foto: Pixabay

Os dados foram divulgados no fim de março e, segundo o CNJ, são reflexo da realidade. Atualmente, 80% das famílias procuram por recém-nascidos, enquanto os que vivem em abrigos são crianças com faixa etária mais elevada.

O evento  será transmitido ao vivo pelo canal do MP (Ministério Público) no YouTube.

Na data  também acontecerá o lançamento de três cases da Casa de Acolhimento Semente Viva: Plataforma Colaborativa da Jornada do Apadrinhamento, Curso Virtual para Pretendentes ao Apadrinhamento e E-book Apadrinhamento Afetivo – o que nos une é o amor! Todos apoiados pelo Itaú Social por meio do Fundo da Infância e Adolescência (Floricriança).

O que é o Programa de apadrinhamento afetivo

A coordenadora voluntária da Casa de Acolhimento Semente Viva, Scheila Cristina Frainer Yoshimura, explicou que o Programa de Apadrinhamento Afetivo supre uma lacuna existente de crianças e adolescentes com remotas chances de adoção por sua idade mais avançada ou por problemas de saúde.

“Os padrinhos irão proporcionar vínculos extra abrigo, permitindo que crianças e adolescentes institucionalizados – sem perfil de pretendentes à adoção –  tenham convívio em família”, destaca.

Scheila disse que há toda uma preparação para assumir este papel e que a convivência tem que ser no mínimo quinzenal. Por isso, tanto o ebook quanto o curso virtual e a plataforma serão ferramentas importantes para garantir um bom resultado.

Scheila Cristina Frainer Yoshimura, jornalista e coordenadora voluntária da Casa Lar Semente Viva, com uma das crianças da entidade. A imagem foi registrada por outra criança acolhida que se tornou fotógrafa – Foto: Divulgação/NDScheila Cristina Frainer Yoshimura, jornalista e coordenadora voluntária da Casa Lar Semente Viva, com uma das crianças da entidade. A imagem foi registrada por outra criança acolhida que se tornou fotógrafa – Foto: Divulgação/ND

Palestrantes

Os palestrantes serão o Dr. André Tuma, Promotor de Justiça de Minas Gerais e pai por adoção, que abordará o tema “Adoção sem romantismo” e a Dra. Ana Maria Brayner Iencarelli, psicanalista do Rio de Janeiro. Ana falará sobre “A saúde mental de crianças que passam por situações de vulnerabilidade e acolhimento”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Cidadania

Loading...