Curta catarinense ‘Baile’ está inscrito para o Oscar 2021

'Baile' narra o processo de amadurecimento de Andréa durante uma viagem escolar em Florianópolis. Curta catarinense foi finalista do Prêmio de Cinema Brasileiro

O curta catarinense ‘Baile’, dirigido por Cíntia Domit Bittar e produzido por Ana Paula Mendes em 2019, está apto e inscrito para o Oscar 2021. Agora a produção concorre a uma vaga entre os indicados para a categoria de curta-metragem em live action, a serem divulgados em março. A premiação ocorre em abril.

Curta catarinense está apto e inscrito para o OscarCurta trata de temáticas como racismo e o feminino, e conta a história de amadurecimento de Andrea – Foto: Novelo Filmes/Divulgação/ND

O curta está apto a participar após vencer o 60º Festival Internacional de Cine de Cartagena de Índias, realizado na Colômbia. O evento integra a lista de oscar qualifying festivals – cerca de 100 festivais no mundo que são reconhecidos e certificados pela Academia.

Na ocasião, a produção da Novelo Filmes foi vencedora entre os curtas iberoamericanos. ‘Baile’ foi também premiado no Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro, onde levou o Prêmio de Melhor Direção, e foi uma das cinco finalistas no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020, entre outros festivais.

Na ocasião em que o curta foi selecionado para o Festival Internacional de Curtas de SC, em 2019, o ND+ contou os detalhes dos bastidores e a história da atriz central do filme, Emilly de Jesus.

A trajetória de Andrea

Nos 18 minutos do curta catarinense, é narrada a história de Andréa, uma menina moradora da periferia de Florianópolis que vive com a mãe e a bisavó, que sofre de Alzheimer. Em uma viagem escolar, ela passa por um processo de amadurecimento.

A obra é acompanhada de um tom agridoce, conta Bittar. Para a diretora, que também escreveu o roteiro, isso ocorre pois o curta catarinense trata do racismo e de questões feministas, mas também conta com uma questão afetiva muito forte.

“Na Novelo queremos que as obras tenham qualidade artística e dialoguem com o público, tendo um pensamento estético e artístico, mas sem perder a intenção” detalha Bittar. Para a diretora, o reconhecimento é também reflexo do amadurecimento da Novelo Filmes. Focada na produção de curta metragens, a produtora completou dez anos em 2020.

Produção e campanha

A produção do curta catarinense foi viabilizada pelo edital Prêmio Catarinense de Cinema, do Governo de Santa Catarina. “Esse edital garantiu a produção do filme, com um orçamento muito apertado, mas viabilizou”, conta a diretora.

Apesar dos editais e programas do incentivo conseguirem garantir a produção das obras, o audiovisual catarinense esbarra no problema da distribuição e divulgação. Para levar o ‘Baile’ aos festivais nacionais e internacionais, Bittar teve que organizar a logística por conta própria.

“Já fui a Cartagena com outro filme, com o apoio. Desta vez, tentamos apoio com outros órgãos do Estado e da Prefeitura. No fim tive que viabilizar minha ida de forma alheia. E agora, para garantir que o filme seja votado, precisaríamos de marketing e assessoria – fazer bastante movimento. E ai precisaríamos de recursos” afirma Bittar.

Para o Oscar, os produtores realizam campanhas para promover os filmes e garantir que sejam votados.“Que sirva de estímulo aos governos distribuírem mais recursos à produção do audiovisual. Vivemos um momento de muitos cortes” desabafa a diretora do curta catarinense.

Como assistir

Ainda no primeiro trimestre de 2021 o ‘Baile’ integrará a programação Canal Curta!, disponível na TV por assinatura. Também será disponibilizado na plataforma da Spcine Play. A produção  teve apoio técnico da Cinecolor Digital, Mix Estúdios, Link Digital e Mistika.

Os indicados ao Oscar serão divulgados no dia 15 de março. A premiação está marcada para o dia 25 do mês seguinte.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Cinema