Empresário de SC se assusta ao achar cartão de drama sangrento

Caso foi registrado pela Polícia Militar na manhã de terça-feira (10) na cidade de Ouro, no Meio-Oeste do Estado

O dono de um mercado na cidade de Ouro, no Meio-Oeste de Santa Catarina, acionou a Polícia Militar, na manhã de terça-feira (10), após encontrar um cartão baseado na série Round 6, um drama sul-coreano sangrento que se tornou uma das séries mais populares da Netflix de todos os tempos.

Cartão foi encontrado em um mercado, segundo a Polícia Militar — Foto: Internet/NDCartão foi encontrado em um mercado, segundo a Polícia Militar — Foto: Internet/ND

De acordo com a Polícia Militar, o homem contou que ao chegar para trabalhar, por volta das 7 horas, se deparou com um envelope preto na caixa de verduras.

Ao abrir o envelope, segundo a polícia, o empresário constatou que era um cartão baseado na série Round 6, um lado com formas geométricas de quadrado, triângulo e círculo, do outro um QR-Code.

Olhando as imagens capturas pelas câmeras de segurança, o empresário constatou que um homem deixou o envelope no local no início da manhã, às 6h39 de terça-feira.

Ele se considerou ameaçado e com medo, devido à trajetória da série e quis representar contra a pessoa, que não teve a identidade divulgada. Um Boletim de Ocorrência foi registrado pela Polícia Militar.

Ao ND+, a Polícia Civil de Ouro confirmou que o caso foi registrado em um boletim de ocorrência, mas não repassar outros detalhes sobre a investigação. Já a Polícia Civil de Capinzal, município ao lado, afirmou que se trata de uma ação de marketing, mas não passou outros detalhes.

Outros episódios em SC

Os símbolos da série coreana já apareceram misteriosamente na Praia Central de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, em outubro do ano passado.

A prefeitura de Balneário Camboriú não identificou os responsáveis pelas formas na areia da praia, mas na internet a “arte” rendeu muitos memes e comentários.

No mesmo mês, em Içara, no Sul do Estado, a câmara municipal enviou um ofício à Netflix para que retirasse do catálogo a série sul-coreana Round 6.

Os parlamentares alegaram no documento que a série pode ter impacto sobre a saúde mental de crianças e adolescentes por misturar brincadeiras infantis com cenas de tortura e violência.

Outras cidades no Estado, como Itajaí, já tiveram manifestações semelhantes no Legislativo e algumas escolas fizeram orientações aos pais.

Criador da série pede que pais não deixem filhos assistirem

Recentemente, Hwang Dong-hyuk, criador do sucesso sul-coreano Round 6 pediu que os pais sejam prudentes e protejam seus filhos para não serem expostas a esse tipo de conteúdo. A série tem classificação indicativa de 18 anos.

A série traz um “jogo” onde pessoas endividadas tentam ficar milionárias. Quem perde os jogos, baseados em brincadeiras infantis, no entanto, é brutalmente assassinado.

“Essa obra não é para elas. Estou perplexo que crianças estejam vendo. Espero que os pais e os professores ao redor do mundo sejam prudentes para que elas não sejam expostas a esse tipo de conteúdo. Mas, se já viram, espero que os adultos as ajudem a entender o significado do que está por trás da tela. Torço para que haja boas conversas”, afirmou.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Cinema

Loading...