Estreia hoje em Joinville o longa “Os Vingadores”

Grupo reúne alguns dos mais conhecidos personagens da Marvel

Divulgação

Missão. Heróis se unem para combater o deus Loki

Quem diria que um filme de super-heróis da Marvel, filão que nas décadas de 80 e 90 era motivo de piada por seus longas de quinta categoria, se tornaria o blockbuster supremo. “Os Vingadores” estreia hoje com efeitos especiais que fazem jus à imaginação de Stan Lee, criador dos personagens, e com a promessa de quebrar recordes de bilheteria.

“Os Vingadores”, dirigido por Joss Whedon (roteirista de “Toy Story”), é o projeto mais ambicioso da nova era da Marvel nos cinemas. Não só pela superprodução do filme, mas também pela dificuldade de escalar os personagens. É mais fácil saber o nome de todos os jogadores de futebol que já foram convocados para a Seleção Brasileira do que lembrar dos heróis que passaram pelos fileiras dos Vingadores.

Desde o primeiro número do gibi, em 1963, praticamente todos que usam uma capa ou uma máscara no universo Marvel integraram a equipe. A mansão Stark, quartel-general do grupo, se tornou a casa da mãe Joana dos quadrinhos. A bagunça era tanta que nos 80 o grupo se dividiu em duas equipes.

O roteiro do filme resolveu simplificar e retornou às origens do grupo, usando heróis dos filmes da Marvel produzidos nos últimos anos. Três personagens do longa estavam no primeiro gibi dos Vingadores: Thor, Homem de Ferro e Hulk. O Capitão América não é um dos fundadores, mas foi o primeiro reforço da equipe. Gavião Arqueiro e Viúva Negra também passaram pelo grupo. Só Nick Fury nunca foi um Vingador nos gibis, mas ele é um personagem que apareceu em outros filmes da Marvel, usado para costurar a aliança dos heróis.

O vilão do filme também é o da primeira HQ: Loki, o deus do mal asgardiano. No longa, o irmão de Thor firma uma aliança com uma raça alienígena, os chitauri. Como de costume dos inimigos dos Vingadores, o objetivo é a conquista do planeta. O agente secreto da Shield, Nick Fury, convoca então um grupo de super-humanos para impedir Loki e os extraterrestres. O problema é que os heróis têm egos tão inflados quanto seus poderes, e fazer com que as super prima donnas trabalhem em equipe é uma missão inglória.

O time reunido para interpretar o grupo também não é homogêneo. Ao mesmo tempo que há  no elenco alguém do cacife de Robert Downey Jr – cujo talento ajudou a transformar o “Homem de Ferro” em um dos melhores filmes de super-heróis já feitos –, temos também o desastroso Chris Hemsworth como Thor. Hulk e Gavião Arqueiro são interpretados, respectivamente, pelos competentes Mark Ruffalo e Jeremy Renner. No papel do Capitão América está o canastrão inofensivo Chris Evans e Nick Fury é vivido pelo previsível Samuel L. Jackson. Scarlett Johansson está perfeita no papel da fêmea fatal Viúva Negra.

E mais heróis devem vir por aí, já que só um improvável desastre nas bilheterias impediria a Disney – proprietária da Marvel – de rodar sequências de “Os Vingadores”. E o que não falta, com quase 50 anos de histórias do grupo publicadas, é estoque de personagens.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Cinema