Mostra promove debates e exibições de filmes produzidos com prêmio do Funcine

O prêmio Armando Carreirão viabilizou mais de 30 produções audiovisuais em Florianópolis na última década; primeira edição da mostra ocorre de quinta-feira (29) a sábado (1) em Florianópolis

Na última década o principal edital do Funcine (Fundo Municipal do Cinema de Florianópolis), o Armando Carreirão, viabilizou a realização de dezenas de filmes e o desenvolvimento da identidade do audiovisual regional. A premiação possibilitou também que diretores pudessem produzir e lançar seus primeiros filmes, incentivando também o experimentalismo na produção de curtas-metragens que não se encaixam necessariamente nos padrões do circuito comercial. Nesta semana 12 desses filmes serão exibidos na mostra Armando Carreirão – Edital Para Que Mesmo?, que além das projeções também promove na Capital debates sobre as políticas públicas direcionadas para a cadeia produtiva do cinema local.

“As Ruas do Tempo”, filme de Rodrigo Ramos que será exibido na mostra – Divulgação/ND

“Além de incentivar a memória da produção audiovisual local e promover a reflexão sobre os mecanismos de fomento e investimento, a mostra é um pretexto para debater sobre a falta de recursos nesse segmento. A última vez que o prêmio Armando Carreirão foi lançado foi em 2014, sendo pago somente em 2015 e os filmes estão sendo entregues neste ano. O edital é para ser anual e não tem sido perpetuado desta maneira”, afirma o produtor Marcelo Pereira Seixas, que assumiu a presidência do Funcine em abril deste ano.

De acordo com o presidente do Funcine, a mostra Armando Carreirão – Edital Para Que Mesmo? deve ter novas edições mensais, em outubro e dezembro deste ano. “Precisamos gerar visibilidade para o acervo da entidade, que acumula mais de 40 títulos em diferentes categorias e estilos. São filmes que contemplam diferentes olhares e abordagens sob os mais variados temas”, observa Marcelo, que organiza a mostra junto com o curso de cinema e cineclube da UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina) – a graduação também é responsável atualmente por manter em funcionamento a programação do Cinema do CIC (Centro Integrado de Cultura) em Florianópolis.

Entre os destaques da primeira edição da mostra do Funcine, que abre na quinta-feira (29) e segue até sábado (1), estão o documentário “Hassis – Um auto-retrato imaginado, uma autobiografia inventada”, de Marco Martins e Ricardo Waschenfelder, a ficção “Isso Não é um Filme”, de Loli Menezes, e “ET – Emissário da Terra”, de Cláudia Cárdenas, e a animação “O Gigante”, de Igor Marco Mesquita Pitta Simões. As próximas edições da Armando Carreirão – Edital Para Que Mesmo? estão previstas para acontecerem entre os dias 6 e 9 de outubro e 8 e 11 de dezembro.

Funcine 27 anos
Realizado de 2004 a 2014, o Prêmio Armando Carreirão já gerou mais de 30 curtas em oito edições. Na primeira edição, somava o valor de R$ 20 mil dividido para dois filmes, sendo que a última edição foi no valor de R$ 310 mil dividido entre 10 projetos. “Isso só demonstra o crescimento de um mercado em constante expansão na última década, que é o cinema nacional. Precisamos dar continuidade para isso, por isso a importância dos debates”, pontua Marcelo Pereira Seixas, presidente do Funcine, órgão municipal que completa 27 anos de existência em 2016. Desde o início o principal prêmio do Funcine contempla produções audiovisuais que ampliam o olhar sobre o cotidiano, com narrativas de memórias, metalinguagem, vida marginal, patrimônio arquitetônico e personagens urbanos de Florianópolis.

Mas afinal, quem foi Armando Carreirão? 
Formado em direito, o joinvilense Armando Carreirão era integrante do Grupo Sul, movimento modernista formado por intelectuais e artistas que buscavam promover a cultura em Santa Catarina. Foi dono de livraria, dirigiu peça teatral, e tornou-se reconhecido pelo pioneirismo na produção com o filme “O Preço da Ilusão”, que foi integralmente rodado em Florianópolis em 1957.

Filme de Cláudia Cárdenas também integra mostra que celebra o prêmio Armando Carreirão - Divulgação/ND
Filme de Cláudia Cárdenas também integra mostra que celebra o prêmio Armando Carreirão – Divulgação/ND


Programação Mostra Armando Carreirão – Edital Para Que Mesmo? 
De 29/9 a 1/10, no Cinema do CIC, av. Governador Irineu Bornhausen, 5600, Centro, Florianópolis, tel. 48 36642628, gratuito.

29/9, quinta-feira
19h30
abertura
20h
exibição filmes “Hassis – Um auto-retrato imaginado, uma autobiografia inventada”, de Marco Martins e Ricardo Weschenfelder, “Isto Não é Um Filme”, de Loli Menezes, “Memórias de Passagem”, de Marco Stroisch
21h10
debate Levei o Carreirão! Valeu? com Loli Menezes

30/9, sexta-feira
20h
exibição filmes “E.T. – Emissário da Terra”, de Cláudia Cárdenas, “Documentário”, de Rafael Favareto Schlichting, “As Ruas e o Tempo”, de Rodrigo Ramos, e “Purgamentum”, de Yannet Briggiler
21h10
debate Cinema experimental e novos circuitos com Cláudia Cárdenas, Cláudia Cárdenas e Rodrigo Ramos

1/10, sábado
20h
exibição filmes “Entrelinhas”, de Letícia de Brito Cardoso e Pedro MC, “O Jardineiro e o Pirata”, de Patrícia Monegatto e Stela Bloss, “Linha do Mar”, de Felipe Vernizzi, “O Gigante” de Igor Marco Mesquita de Pitta Simões
21h20
debate Edital não resolve, mas ajuda! Com Pedro MC, Letícia Cardoso e Igor Marco Mesquita

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Cinema

Loading...