Pânico: Relembre todos os filmes da franquia de terror

Novo filme da franquia Pânico será lançado na próxima quinta-feira (13) e o ND+ relembra todas as produções

Uma das franquias mais famosas do terror está de volta e, se tudo der certo, para ficar. O quinto filme da série cinematográfica Pânico chega aos cinemas brasileiros no dia 13 de janeiro, próxima quinta-feira.

A obra criada pelo brilhante cineasta Wes Craven tem a proeza e ousadia de brincar com o próprio gênero. Além de mostrar as clássicas cenas de perseguição e morte, todos os quatro longas e a série de 2015 utilizam metalinguagem.

Pânico retorna as telonas após ficar longe dos holofotes por mais de 10 anosPânico retorna as telonas após ficar longe dos holofotes por mais de 10 anos – Foto: Paramount

A primeira produção de 1996 custou apenas U$ 14 milhões e faturou mais de U$ 170 milhões no mundo inteiro. Até 2018 era o filme do estilo slasher (aqueles em que um assassino faz inúmeras vítimas) com a maior bilheteria, sendo superado apenas em 2018 por Halloween.

Was Craven faleceu em 2015, mas seu legado permanece vivo. Agora Matt Bettinelli-OlpinTyler Gillett assinam a direção da quinta sequência. A dupla dirigiu em conjunto o excelente Casamento Sangrento (2019). A promessa é de novas continuações no futuro.

Pânico (1996)

Direção: Wes Craven / Roteiro: Kevin Williamson

Imagem de divulgação de Pânico (1996)Imagem de divulgação de Pânico (1996) – Foto: Divulgação/Paramount Pictures

No longa que deu o pontapé inicial na franquia, um grupo de jovens enfrenta um assassino mascarado, nosso amado Ghostface, que testa as vítimas com conhecimentos sobre filmes de terror. Quem erra as perguntas perde a vida.

O filme consegue manter a tensão no alto durante seus 111 minutos de duração. Mesmo com as limitações técnicas da época, a produção se mantém atual.

Um dos maiores feitos de Pânico são seus personagens, cheios de personalidade e carisma. Ao mesmo tempo que se encaixam em arquétipos já estabelecidos, também subvertem conceitos.

Aqui conhecemos o trio que permanece intacto nos quatro filmes já lançados: Sidney Prescott (Neve Campbell), Gale Weathers (Courteney Cox) e Dewey Riley (David Arquette).

Pânico 2 (1997)

Direção: Wes Craven / Roteiro: Kevin Williamson

Imagem de divulgação de Pânico 2 (1997) Imagem de divulgação de Pânico 2 (1997) – Foto: Divulgação/Paramount Pictures

Lançado apenas um ano depois, a continuação deve pouco ao original. Dessa vez, na faculdade, Sidney volta a sofrer com assassinatos ao seu redor. Seus colegas universitários são as novas vítimas.

Aqui temos a introdução do Apunhalada, filme fictício baseado nos eventos de Pânico, o que traz uma imersão ainda maior na metalinguagem.

O segundo longa de qualquer franquia traz consigo inúmeras expectativas e, por consequência, pode decepcionar com facilidade. Felizmente, Pânico 2 tem resultado extremamente positivo.

Pânico 3 (2000)

Direção: Wes Craven / Roteiro: Ehren Kruger

Imagem de divulgação de Pânico 3 (2000)Imagem de divulgação de Pânico 3 (2000) – Foto: Divulgação/Paramount Pictures

A metalinguagem tem seu auge no terceiro longa da franquia. Dessa vez, a história gira em torno dos bastidores da continuação do filme fictício Apunhalada.

É de longe o menos interessante – a ideia é boa, mas a execução nem tanto. Curiosamente, o pior dos quatro é o único a não ser roteirizado por Kevin Williamson.

Sem Kevin, o roteiro ficou frio, com revelações fracas e mortes não tão memoráveis. O assassino, mais uma vez, é alguém ligado à nossa final girl favorita: Sidney Prescott.

Pânico 4 (2011)

Direção: Wes Craven / Roteiro: Ehren Kruger

Imagem de divulgação de Pânico 4 (2011) Imagem de divulgação de Pânico 4 (2011) – Foto: Divulgação/Paramount Pictures

O quarto e, mais recente filme de franquia, é o mais parecido com o primeiro longa. É possível ver o paralelo entre as personalidades dos personagens de 1996 e de 2011.

A história mostra o retorno de Sidney à cidade onde tudo começou para lançar seu novo livro. Ao mesmo tempo, novos assassinados voltam a aterrorizar Woodsboro. Ela e seus amigos passam a correr grande perigo.

Toda a trama mostra como Pânico envelheceu bem, nada soa ultrapassado, apesar de vários clichês estarem ali. Consegue ser atual e homenagear a si mesmo.

Pânico: A Série de TV (2015)

Showrunner: Jill Blotevogel

Máscara usada na série de TV não é a mesma dos filmes de Pânico Máscara usada na série de TV não é a mesma dos filmes de Pânico – Foto: Divulgação/MTV

O tempo para respirar e absorver os acontecimentos é necessário em uma série de TV, mas a adaptação feita pela MTV ficou apenas no superficial. Nem a máscara clássica do Ghostface estava presente.

Para criar os momentos de tensão, o texto até é eficaz, mas os diálogos são dignos de provocar vergonha alheia. Outro grande problema é o elenco, são todos jovens providos de beleza, mas deficitários de talento.

Assista ao trailer de Pânico (2022):

+

Cinema

Loading...