30 fatos em 30 dias: Cuca completa um mês de Santos e reinventa time

Gabigol, Ferraz e Dodô em seus melhores momentos, Peixe sem sofrer gols há cinco jogos... O Lance! traz 30 motivos pelo qual o Peixe melhorou após a chegada do técnico

Cuca completa um mês de Santos (Foto: Ivan Storti)
Cuca completa um mês de Santos (Foto: Ivan Storti)

Fim de sufoco no Campeonato Brasileiro. O Santos está em nono na classificação da competição, com 27 pontos e a apenas dois do Corinthians, em sétimo. A briga voltou a ser por cima da tabela. E para isso ter acontecido existe um fator principal: o técnico Cuca.

O comandante completou um mês à frente do Peixe e deu sua cara ao time que goleou o Vasco por 3 a 0, no último sábado, fora de casa. E para provar que a mudança de técnico surtiu efeito, o LANCE! separou 30 fatos que mudou o Alvinegro em 30 dias.

1- Nova filosofia

Novo técnico, nova filosofia de trabalho. Cuca assumiu o time quando ele estava flertando com a zona de rebaixamento. Para mudar a situação o comandante deu um chacoalhão na equipe e assumiu a liderança e o respeito. Com muita conversa, incentivo e mudanças no trabalho, o treinador motivou os atletas e conseguiu uma união diferenciada.

2- Chegada dos gringos

A chegada de Carlos Sánchez, Derlis González e Bryan Ruiz fez toda a diferença para o trabalho de Cuca. Sánchez, por exemplo, é titular absoluto no Santos. Derlis González está ganhando espaço, enquanto Bryan Ruiz ainda não se mostra preparado. Cuca já havia dito que não arriscaria utilizar Bryan para “não queimá-lo, porque quando ele entrar em campo a torcida vai cobrar 100% dele. E ele não está 100%”.

3- Mudança de Gabigol

Gabigol voltou a honrar o apelido. Já são 19 gols na temporada, seis deles com Cuca no comando. O treinador fez com Gabriel o que fez com Dudu, no Palmeiras: recuperou o atacante por meio da conversa, confiança e incentivo.

4- Retomada de Ferraz e Dodô

Victor Ferraz e Dodô também voltaram a ser decisivos no Santos desde que Cuca passou a comandar o time. Com um gás a mais, a dupla voltou a incomodar no ataque e dá trabalho para os adversários.

5- Não foca apenas na parte tática.

Cuca nem sempre se apega apenas nas táticas que precisa aplicar, mas também sabe quando precisa esquecer o esquema e motivar a equipe. Assim que chegou ao Santos o time se mostrava desanimado. O momento não era dos melhores. Cuca reergueu a equipe e conversou com um por um para dar ânimo ao trabalho.

6- Rodagem no elenco

Cuca é o tipo de treinador que gosta de rodar o elenco. Dar oportunidades, testar, mexer e procurar resultado de diferentes maneiras. Prova disso é o treinador ter utilizado 24 atletas dos 30 disponíveis (Vladimir, João Paulo, John, Vecchio e Guilherme Nunes não atuaram).

7- Luta pela torcida!

Cuca se envolveu em uma polêmica recente com a Policia Militar do Estado de São Paulo para ajudar um torcedor que havia confrontado com os profissionais. Um dos policiais teria dado um mata-leão no santista, que pediu ajuda ao treinador. Cuca tentou impedir a agressão e se envolveu na ação da policia.

8- Variação tática

Diferentemente de Jair Ventura, Cuca aposta em mais triangulações e trocas de passe. Anteriormente o Peixe arriscava na bola longa e bola aérea.

9- Firmeza em relação a jogadores que não estavam 100% focados no time

David Braz e Vecchio, antes de serem emprestados, foram afastados para resolver suas pendências fora dos gramados. A assessoria do Santos explicou que a dupla não estava 100% focada no time e por isso receberam a liberação de Cuca.

10- Reinvenção do time mesmo sem tempo pra treinar.

Sem sequer uma semana livre, Cuca reinventou o time do Santos. O treinador não teve os sete dias livres para testar e avaliar com calma os jogadores que tinha à disposição, mas conseguiu salvar o Peixe da zona de rebaixamento após algumas rodadas do Brasileirão.

11- Segurança defensiva.

O Santos está há cinco jogos sem sofrer gol (Sport, Independiente, Bahia, Independiente e Vasco). Mesmo com poucas opções na defesa após a saída de David Braz, Cuca viu Bambu ser seguro quando acionado, e tem bom rendimento na zaga.

12- Participações na mudança do CT

Além do futebol em si, Cuca se mostra atento com alguns assuntos além. Na última semana, por exemplo, o treinador falou que se preocupa com a situação que se encontra o CT Rei Pelé, como limpeza e estrutura.

13- Boa relação com jogadores

O clima no CT Rei Pelé é leve. Muitas vezes o técnico Cuca participa dos trabalhos de finalização, cruzamento e demais atividades. O comandante ganhou a confiança do elenco e tem boa relação internamente. Procura estar por dentro de tudo que acontece na vida de todos para que possa ajudar, seja com conselhos ou motivações.

14- Estudo do rival

Cuca já citou algumas vezes sobre estudar o rival. O comandante escala seu time de acordo com as fraquezas do seu adversário. Ele, por exemplo, já poupou Rodrygo e Bruno Henrique de um jogo para que pudessem ter força total e apelarem na velocidade.

15- Sem medo de romper estratégias.

Cuca é corajoso. Não tem medo de quebrar a estratégia no meio de uma partida. Se ele entende que quatro atacantes não está surtindo efeito, por exemplo, o comandante substitui e encaixa um meia para dar movimentação e domínio no meio-campo.

16- Brincadeiras e participação no rachão

O treinador é sério quando tem que ser sério, mas arranca o riso de vários jogadores na hora de brincar. Na última semana, por exemplo, o comandante participou do rachão com o elenco. Ele também se juntou a Gabigol e Rodrygo para finalizar. E não podemos esquecer de “Dodô cafona do bem”. O lateral até levantou a tag em seu twitter para entrar na brincadeira.

17- Se virar bem sem um 10 clássico

Já que Bryan ainda não está 100% fisicamente, Cuca se vira com o que tem à disposição e fez dar certo. Alison, Pituca e Sánchez completam o meio de campo.

18- Insistência em recuperação de jogadores

Bruno Henrique caiu de rendimento e isso é visível. Muitos erros de passe, domínio de bola e decisões erradas. Mas Cuca insiste no jogador e não o saca do time titular. A ideia é recuperá-lo, como fez com Gabigol.

19 – Deu match com as crenças da torcida

BANHO DE SAL GROSSO! SAI ZICA! O técnico Cuca deu match com as crenças dos santistas, que banharam o ônibus da delegação do Peixe à sal grosso para espantar os males e as energias ruins. O treinador é conhecido por suas superstições, com o episódio da calça vinho no Palmeiras.

20- Conversa (muita conversa)

“Conversa é um dos melhores treinos”, já disse Cuca em uma de suas entrevistas coletivas. Os jogadores também reforçam que o treinador gosta muito de conversar e saber ao certo como as coisas estão internamente. Ele é preocupado com o extra campo dos jogadores e também conhecido por dar conselhos.

21- Voz ativa nos bastidores

Ao lado de Ricardo Gomes, Cuca é um dos que mais tem voz ativa nos bastidores do Peixe. O técnico cobra quando é preciso e não abaixa a cabeça para os erros da gestão.

22- Mudança de postura

A vontade do elenco foi uma das coisas mais comentadas pelos santistas após a chegada do técnico Cuca. O Santos passou a mostrar determinação dentro de campo e fez jus ao “ganhar ou perder, mas jogando bonito”.

23- Respeito do adversário

A recuperação do Peixe é visível não somente para a diretoria e elenco, mas para o torcedor rival também. Nas redes sociais é normal ver adversários exaltando o trabalho do técnico Cuca.

24- Blindagem ao elenco do tumulto/crise política dos bastidores

Cuca não deixa a crise política do Santos tomar conta do futebol. O técnico blinda o elenco da briga por poder que acontece na diretoria do Peixe atualmente. Impeachment, problemas entre presidente e vice e tumultos não atrapalham os jogadores.

25- Chamou a torcida de volta

Cuca atendeu o que o torcedor queria. E por isso, trouxe a torcida de volta ao time. Foram três jogos consecutivos lotados (dois na Vila Belmiro e um no Pacaembu). A hashtag “Reage Santos” também foi uma das formas do marketing do Peixe atrair o torcedor de volta às arquibancadas.

26- Compartilhou liderança no elenco com Gabigol capitão

Vanderlei, Ferraz, Alison e Gabigol são os líderes do Peixe. Mas o último, por sua recuperação, tem tido mais a atenção do treinador Cuca. Gabriel é um dos que conversa com o elenco, incentiva antes e após os jogos oficiais e quem tem tido moral com o comandante. Contra o Vasco, Cuca agradeceu especialmente ao atacante de 22 anos, que fez três gols no Maracanã.

27- Bichos pagos

O Santos estava com as premiações atrasadas há dois meses. O técnico Cuca teve parcela no pagamento do débito, pois pressionou a diretoria e encaminhou o acerto das contas na semana retrasada.

28- Foco na base

Cuca trouxe Pedro Eudes à sua comissão técnica especialmente para olhar os jovens das categorias de base. Eudes é responsável pelo elo entre base e profissional. Ele é quem decide o jogador que sobe para a equipe principal, assim como fez com Juliano, do sub-23, que foi suplente contra o Vasco.

29- Esquecer manias ou características de outros trabalhos.

Cuca não se apega completamente nos trabalhos anteriores que fez. No Santos, por exemplo, ele não tem um 9 de origem pra fazer pivô como fazia no Palmeiras, portanto adapta as próprias filosofias. Gabigol não é um centroavante, mas atua como um de forma improvisada.

30- Potencializar qualidades de alguns jogadores

Cuca se atenta nas qualidades de seus jogadores e explora ao máximo o que eles podem dar. Eduardo Sasha, por exemplo, está trabalhando mais diagonal, enquanto Gabigol está mais solto e aparece em todas as partes do campo. Sánchez joga mais aberto… Cuca potencializa aquilo que seus atletas tem de melhor.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...