Rio do Rastro Marathon é marcada por bicampeonatos, recordes e estreias na Serra de SC

Atletas de 21 Estados brasileiros se desafiaram subindo a Serra de SC em provas de corrida e ciclismo

O fim de semana da Rio do Rastro Marathon, organizada pela Corre Brasil e Mountain Do, foi marcado por bicampeonatos, novas marcas, estreia de modalidade e muita festa entre corredores e ciclistas, agora Guardiões da Serra.

Tatiane Gomes Marcos, de Morro da Fumaça, venceu os 25km da prova de corrida - Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND
1 2
Tatiane Gomes Marcos, de Morro da Fumaça, venceu os 25km da prova de corrida - Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND
Já Ojanio dos Santos foi o campeão na categoria masculina - Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND
2 2
Já Ojanio dos Santos foi o campeão na categoria masculina - Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND

No sábado (14), com o dia amanhecendo, foi dado início aos desafios. A primeira prova de corrida teve saída em frente a prefeitura de Lauro Müller. Os atletas percorreram 25km, subindo a misteriosa serpente de Santa Catarina num dia de muito sol, temperatura agradável e com a serra aberta.

Os dois vencedores da prova também estiveram no pódio em 2021. Tatiane Gomes Marcos, de Morro da Fumaça, no Sul catarinense, foi a campeã com o tempo de 2h20m39s.

“Consegui me superar mais um ano. Fiz um tempo abaixo do que eu esperava. Foi uma prova linda, fluiu desde o início, estou muito feliz com o resultado. A Serra é sempre uma surpresa e uma energia diferentes. Eu costumo dizer que é um lugar mágico, não dá para explicar, tem que vivenciar isso aqui para entender”, contou a campeã, que no passado ficou em segundo lugar geral nos 25km.

O atleta e treinador de Balneário Camboriú, Ojanio dos Santos, não só melhorou o próprio tempo de 2021, quando ficou em 3º lugar, como venceu nos 25km e registrou a melhor marca da modalidade da Rio do Rastro Marathon: 1h52m.

“Eu já saí forte no início, disposto a liderar de ponta a ponta e consegui. E nos últimos sete quilômetros (trecho mais difícil) consegui ter uma boa concentração correndo no momento necessário e caminhando também, e chegar na reta final com energia para fazer um bom ritmo e cruzar a linha de chegada com a torcida do público”, comemorou Ojanio que já confirmou presença em 2023.

Percurso mais desafiador para os ciclistas do 40km de MTB

Também no sábado, os ciclistas se desafiaram serra acima, com largada perto do paredão de Orleans. O percurso precisou ser alterado no início da prova, por causa da chuva intensa do início do mês que provocou deslizamentos de terra.

Para Belén Luz, de Balneário Camboriú, a prova ficou um pouco mais difícil por ter estrada de chão, mas nada impediu a ciclista de mais uma vez marcar seu nome na Rio do Rastro Marathon.

Belén Luz venceu prova de ciclismo – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/NDBelén Luz venceu prova de ciclismo – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND

“Eu não achei que ia conseguir vencer este ano, porque eu sou mais do asfalto. Mas a estrada estava bem compactada, e foi emocionante, só tenho a agradecer. A Serra estava um espetáculo, o visual parecia pintura. Estava tudo demais, a organização, muito hidratação, muitos staffs sinalizando o percurso, a energia das pessoas torcendo, todo mundo engajado, que é o espírito da Serra né?”, disse a bicampeã dos 40km de MTB, com 2h10m55s.

No masculino, a prova foi decidida nos primeiros dez quilômetros, ainda na estrada de chão, com um pelotão de cinco ciclistas que seguiu até o pé da Serra. Entre eles, Alan Andrade, de Orleans, que conquistou o segundo troféu da Rio do Rastro Marathon. Em 2021 foi o campeão dos 40km de ciclismo de estrada (Speed).

Alan Andrade sobe por mais um ano no pódio – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/NDAlan Andrade sobe por mais um ano no pódio – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND

“Foi a minha primeira vez em provas de Mountain Bike, e foi uma experiência incrível, passar por estradas de chão que eu não estou acostumado, mas me senti muito bem, principalmente no final, quando acabamos decidindo o resultado. Faltando uns dois quilômetros para a parte final da Serra eu lancei outro ataque e consegui abrir uma certa vantagem e manter até o fim final da prova”, relatou o campeão que completou o percurso em 1h50m50s.

Curitibano vence pela 2ª vez a maratona de estrada mais difícil do Brasil

Com 14 maratonas no currículo, Alan Frank subiu a Serra de olho no bicampeonato, e o objetivo foi conquistando logo no começo da prova, quando assumiu a liderança.

O curitibano seguiu firme na primeira colocação durante todo o percurso. No topo da Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra, a chegada do bicampeão foi narrada com muito emoção e vibração do público.

Alan Frank é bicampeão da prova – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/NDAlan Frank é bicampeão da prova – Foto: Christian Mendes/Foco Radical/Divulgação/ND

“Essa prova é inigualável. A segunda edição foi mais difícil que a primeira, mas mais uma vez eu consegui vencer a maratona de estrada mais difícil do Brasil. A minha vitória sempre foi comigo mesmo, e deu certo”, contou eufórico o bicampeão ao locutor Marcelo Goma, ao cruzar a linha de chegada dos 42km.

Depois de comemorar com a namorada Talitha Miquelasso, que no sábado correu os 25km da Rio do Rastro Marathon, Alan falou mais da prova. “Estou muito feliz com o resultado, mesmo com um percurso mais pesado no começo, por causa das mudanças ocasionadas pelas chuvas dos últimos dias. No final o vento também judiou bastante, soprou para tirar a velocidade. Eu não bati meu recorde (3h09m em 2021), mas conquistei a vitória novamente”.

Agora, o maratonista que fechou a prova em 3h13m37s, como falou o locutor do evento, é o homem da Rio do Rastro Marathon a ser batido.

No feminino teve estreia de atleta no pódio da Rio do Rastro Marathon. Suzany Perardt, de Florianópolis comemorou o aniversário antecipadamente e realizou o sonho de subir correndo a Serra.

“Foi demais, uma prova muito bem organizada, com muita água no percurso. Eu estou muito feliz, a serra é realmente maravilhosa. Deu tudo certo, melhor do que eu tinha planejado. Eu tinha uma meta e pensei muito nessa semana que passou. Queria fazer em quatro horas, e eu consegui 3h54m28s. Foi muito emocionante a minha chegada”, contou a maratonista que pela terceira vez completou os 42km, sendo a primeira Rio do Rastro Marathon.

Estreias: Desafio dos 12 e Missão do Guardião

A 2ª edição da Rio do Rastro Marathon foi ainda maior e mais desafiadora. No domingo, no mirante da Serra do Rio do Rastro, cerca de 100 atletas encararam o Desafio dos 12 serra acima, se superando e apreciando os imensos paredões de concreto rodeado por um cenário deslumbrante.

No feminino, a vencedora foi Franciele Viglas Steinck, de Lages, com o tempo de 1h26m08s. No masculino, o campeão foi Mauricio Hernandes Afonso, da equipe Diklatex, com 1h15m30s de prova.

O fim de semana também foi marcado pela Missão do Guardião. Cinquenta atletas aceitaram o desafio de correr nos dois dias: 25km no sábado e 42km no domingo. Cada um que completou a Missão levou além das duas medalhas das modalidades, um medalhão dos 67km, e os cinco primeiros subiram ao pódio.

A campeã da Missão do Guardião foi Susana Battassini, de Joaçaba, que fechou as duas provas somando 8h37m13s. No masculino, o mais rápido foi o atleta de Araruama (RJ) Claudinei Luiz Palhano, com 6h13m57s.

Os cinco primeiros colocados nos 25km e 42km de corrida, além de troféu estão com vagas garantidas para a 3ª edição da Rio do Rastro Marathon, em data ainda a ser confirmada.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Corrida

Loading...