Laudelino Sardá

Causos da Ilha, seus personagens, histórias e momentos do cotidiano de Florianópolis com quem conhece os cantos da Capital de Santa Catarina.


A Ilha e seus desencantos

Claro que a explosão demográfica é compreensível, ainda mais em uma nação que não descobriu ainda o valor humano

Uma cidade com elevada consciência de valor não precisa de advertência e cobrança da Justiça para adequar-se às leis e aos compromissos essenciais à felicidade dos seus cidadãos.

Ponte Hercílio Luz – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom/Divulgação/NDPonte Hercílio Luz – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom/Divulgação/ND

Não surpreende a insistência da Promotoria Pública em cobrar da prefeitura uma política consistente para frear a clandestinidade que destrói o meio ambiente e compromete o futuro de uma Ilha.

Floripa tem Secretaria do Meio Ambiente, uma fundação, além da Guarda Municipal, mas a destruição gradativa denuncia a ausência de estratégia de proteção ao meio ambiente.

Claro que a explosão demográfica é compreensível, ainda mais em uma nação que não descobriu ainda o valor humano. Contudo, não se justifica a omissão, igualmente de alguns (ou muitos) vereadores, que facilitam soluções forasteiras para cabalar votos.

As intendências, combustíveis para máquinas eleitorais, estacionaram Floripa nos anos 80 do século passado, dificultando a uniformidade de políticas públicas.

A explosão de prédio, a invasão de áreas verdes, os desequilíbrios provocados pela falta de pulso firme da gestão pública, não causam mais surpresas, alimentando pessimismo em relação ao futuro da cidade. Até quando?

Enquanto isso, na praia da Cachoeira….

– Lelo, sabe quem morreu?

– O Adolfo, né?

– Não, Lelo: o Adolfo faz tempo. O Jaime Lerner, que foi prefeito de Curitiba.

– Já ouvi falá dele, Venanço.

– Lelo, Curitiba é uma bela cidade por causa do arquiteto Jaime Lerner, que ficou conhecido no mundo inteiro porque era preocupado com a qualidade de vida dos cidadãos.

– Mas ele já não esteve por aqui, Venanço?

– Sim, ele desenhou o bairro mais organizado da Grande Floripa, o Pedra Branca, ali na Palhoça. E ainda fez projetos para a região, a pedido do governo do Estado, mas desistiu, porque ninguém quer nada com nada aqui. E aí ele indicou outro ex-prefeito de Curitiba, Cássio Ta…..não sei de quê… (Taniguchi), que também foi embora, porque aqui tudo tá trancado pela política.

– É, Venanço, aqui tá cheio de Odorico. Se Crivela descobre este paraíso, traz título de eleitor e toda a família pra cá, com direito a ser prefeito.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.