Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.


Arte pública contrasta com pichações no Centro de Florianópolis

Esquina das ruas Antônio Luz e Nunes Machado – Foto: Marcos Cardoso/ND

A melancolia sentida ao andar pelas ruas do lado Leste do Centro Histórico da Capital só aumenta quando se olha para o alto.

O pouco comércio que se mantém na região abandonada tem como vizinhos casas e prédios fechados e pichados até mesmo onde não se supõe que o pichador alcançaria.

Prédio comercial fechado e pichado no calçadão da rua Antônio Luz – Foto: Marcos Cardoso/ND

Dá dó ver o antigo hotel Royal, que tem frentes para a travessa Ratcliff e ruas João Pinto e Antônio Luz (Terminal Urbano Cidade de Florianópolis). Inaugurado por Osmar Regueira em 1958, encerrou atividades em 2005.

Um das fachadas do antigo hotel Royal, na rua Antônio Luz – Foto: Marcos Cardoso/ND

Em compensação, alguns cantinhos da área central da cidade reservam surpresas agradáveis.

Quem nunca passou, ou faz tempo que não passa, pela escadaria da rua Pedro Soares, onde fica o Teatro da Ubro (União Beneficente Recreativa Operária), vai se deparar com um conjunto de esculturas do artista Edmilson Vasconcelos distribuídas pelos degraus.

Uma das esculturas do conjunto “Os Ubros”, de Edmilson Vasconcelos, na escadaria da rua Pedro Soares – Foto: Marcos Cardoso/ND

A instalação “Os Ubros”, sete criaturas com corpo humano e cabeça de animal, foi inaugurada em março do ano passado e faz parte da Política Municipal de Arte Pública.

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

“Os Ubros” – Foto: Marcos Cardoso/ND

+

Marcos Cardoso