Blumenau: 170 anos de gente – Humor e mobilização social são fórmula para alegrar e ajudar

Sargento Junckes se tornou um dos personagens mais populares de Blumenau ao unir piadas locais e relação com a comunidade

Blumenau faz aniversário e o nd+ conta histórias de quem faz a cidade dia a dia. Rostos conhecidos, outros nem tanto, mas que contribuem para o desenvolvimento e a história da cidade. Blumenau: 17o anos de gente!

Quem nunca quis, pelo menos por um momento, ter um reino para chamar de seu? Pois o blumenauense Tiago Junckes, 33 anos, não só criou um reino inteiro como deu vida a um dos personagens mais carismáticos de Blumenau: o Sargento Junckes.

Tiago Junckes, 33 anos, é o homem que dá voz ao Sargento Junckes, um dos personagens mais populares de Blumenau – Foto: Reprodução/Facebook

Nascido de uma brincadeira no aplicativo WhatsApp com áudios que se tornaram virais na cidade, o sargento tomou forma e se tornou um personagem quase com vida própria. “Num desses áudios eu falei que o Garcia (um distrito de Blumenau) deveria ser um reino, porque aí a gente teria a nossa própria administração e isso acabou caindo no gosto popular. A brincadeira criou uma forma, eu continuei fazendo e depois de alguns anos criei página no Facebook e no Instagram e até hoje eu administro.

Mobilização social

Além do humor, os canais do Sargento Junckes se tornaram um polo de mobilização social na cidade, apesar dele preferir não puxar toda a responsabilidade para si. Uma das campanhas mais importantes na qual Junckes se engajou foi a arrecadação para a menina Antonella, que precisava de R$ 9 milhões para o tratamento da Atrofia Muscular Espinhal nos Estados Unidos.

“Eu cuido para não ter muita responsabilidade nesse sentido, porque a responsabilidade atrapalha o humor, só que um braço importantíssimo disso tudo é a parte social. Costumo dizer que a minha página é a ponta do iceberg, muitas coisas acabam não aparecendo lá, mas o caso da Antonella foi muito especial por conta do tamanho. Eu sempre acreditei e eu sempre falo, o meu trabalho na história da Antonella era convencer os outros de que era possível, porque ninguém acreditava. Claro que o apoio da imprensa, de empresas, da comunidade, de artistas de nível nacional, foi um conjunto de fatores que acabou dando certo e hoje isso reflete em outras ações também”, avalia.

Relação com o bairro

Para Junckes, a relação das pessoas com a figura do Sargento mostra a importância da conexão com o bairro. Morador e fã do Distrito do Garcia, ele afirma que a relação com a região e com a própria cidade mudou depois que ele investiu na brincadeira. Além das postagens de humor e do trabalho social, o humorista gosta de contar as histórias do bairro para estreitar essa relação entre cidade e cidadãos.

“Com a brincadeira do Reino do Garcia, que surgiu já tem uns cinco anos, eu comecei a estudar ainda mais essa questão do bairro, a história, as pessoas que fizeram acontecer aqui, e assim a gente entende a importância que tem o bairro, não só o Garcia, mas a realidade de outros bairros também, que têm as mesmas demandas que a gente e se orgulham das mesmas coisas”, reflete.

Apesar do viés humorístico, Junckes entende que as manifestações do Sargento também são um retrato da população, da comunidade onde ele está inserido. E em busca de “material” para construir o personagem, ele redescobriu o amor por Blumenau.

“Eu entendo a dificuldade que as pessoas passam, a força que elas têm, tanto nas tragédias climáticas quanto agora na pandemia. Acho que a gente discute muito as nossas diferenças, mas na hora que pararmos para ver o que a gente tem em comum, que é a nossa força, nós vamos ser uma comunidade muito mais forte”, finaliza.

+

Cultura