Consulado celebra Antonieta de Barros e a luta das mulheres negras

Atual campeã do Grupo Especial do Carnaval de Florianópolis traz o enredo “Lute como uma Antonieta” e aborda questões atuais do movimento negro no desfile

Consulado é a penúltima escola a entrar na avenida pelo Grupo Especial – Foto: Anderson Coelho/NDConsulado é a penúltima escola a entrar na avenida pelo Grupo Especial – Foto: Anderson Coelho/ND

A Consulado, atual campeã do Grupo Especial do Carnaval de Florianópolis e com nove títulos no currículo, traz este ano o enredo “Lute como uma Antonieta”. Fundada em 1986, a vermelho e branco do Saco dos Limões terá como fio condutor no Carnaval 2020 a vida da professora e primeira deputada negra de Santa Catarina e do Brasil. A velha coruja, símbolo da sabedoria, é quem conta essa história na avenida com 1500 integrantes em 22 alas, dois carros alegóricos e dois quadripés.

Professora e primeira deputada estadual de Santa Catarina, Antonieta é homenageada pela campeã do Carnaval 2019 – Foto: Anderson Coelho/NDProfessora e primeira deputada estadual de Santa Catarina, Antonieta é homenageada pela campeã do Carnaval 2019 – Foto: Anderson Coelho/ND

No enredo do carnavalesco Raphael Soares, como um grande manifesto, o desfile vai evidenciar a luta das mulheres negras. Para tanto, a narrativa começa desde ancestralidade africana e escravizada e passa por temas efervescentes da sociedade: endurecimento da violência estatal contra a juventude negra, o feminismo negro, a ascensão de governos ligados aos movimentos sociais, o racismo estruturante, a luta pelos direitos na política nacional e até o movimento ‘Nem Uma a Menos’, uma luta independente de gênero ou cor, de muitas Antonietas.

Leia também:

O desfile da escola é dividido em três setores: “Ancestralidade”, “A Educação é Revolução” e “Lute como uma Antonieta”.

No primeiro setor, a G.R.E.S. Consulado traz no visual de destaque a predominância das cores branca, prata e preta, com pinceladas de laranja, dourado, rosa e vermelho. O setor reverencia a ancestralidade de Antonieta de Barros, através de sua mãe, Catarina, que foi escrava.

A comissão de frente da agremiação traz Os Filhos da Mãe África. Com 14 componentes representa a ancestralidade africana da família Barros e apresenta o grande ritual da coruja sagrada, com coreografia de Fabiano Narciso e Sirlene Colossi.

A palavra “negro” está na alegoria. Maria Barbosa, 32 anos, afirma que a ala relembra a luta de Antonieta para vencer o preconceito. “Representa todo o preconceito que o nosso povo sofre”, diz. – Foto: Carol Borges/NDA palavra “negro” está na alegoria. Maria Barbosa, 32 anos, afirma que a ala relembra a luta de Antonieta para vencer o preconceito. “Representa todo o preconceito que o nosso povo sofre”, diz. – Foto: Carol Borges/ND

O setor traz os caminhos de Antonieta durante sua vida, o que a menina via acontecer na cidade com a chegada do progresso, seu crescimento pessoal, suas conquistas, sua luta e principalmente, seu desejo de mudar o mundo através da educação. Entre as alas desse setor estão a Burguesia – A escuridão da Elite, Senzalas do Preconceito. Na bateria estarão os Guerreiros da Sabedoria , do Mestre Biscoito.

No último setor, a escola mostra os exemplos deixados por Antonieta como educadora e sua transformação para um símbolo de luta. Mostra a luta dos estudantes, dos professores, dos movimentos negros, das mulheres negras e do povo em geral.

A escola em números:

FUNDAÇÃO: 05/05/1986

PRESIDENTE: RAFAEL FERREIRA

INTEGRANTES: 1500

ALAS: 22

ALEGORIAS: 4 (2 CARROS ALEGÓRICOS E 2 QUADRIPÉS)

ENREDO: LUTE COMO ANTONIETA

CARNAVALESCO: RAPHAEL SOARES

INTÉRPRETE OFICIAL: FLÁVIO LUIZ

AUTOR DO ENREDO: RAPHAEL SOARES

COMPOSITORES: CONRADO LAURINDO, EDSON DO TAMBORIM, FRED INSPIRAÇÃO, JEAN LEIRIA, TABAJARA ORTIZ, WAGNER AMARAL, WILSON SILVA E WILLIAN TADEU

DIRETOR DE CARNAVAL: MARCOS TELLES

DIRETOR GERAL DE HARMONIA E EVOLUÇÃO: ROBERTO PAZ JÚNIOR

+

Cultura

Loading...