Daniel Oliveira diz que já queria viver Éder Jofre oito anos antes do filme

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ator Daniel de Oliveira já tinha guardado em casa uma cópia do documentário “Éder Jofre, Galo de Ouro”. Logo após assistir a produção e conhecer de perto a trajetória do primeiro brasileiro campeão mundial de boxe, o ator teve uma catarse.  

“Eu estava no banho e dei um soco na parede dizendo que eu faria o Éder Jofre no cinema. Rolou essa grande viagem”, conta o ator Daniel de Oliveira. Ele até ligou para Jofre. “Na época, ele disse que já havia o projeto de um filme sobre ele em andamento.” 

Oliveira foi surpreendido com um convite que demorou a chegar. “Oito anos depois, eu fico sabendo que eu estava entre os atores cotados para vivê-lo no cinema, e fiquei emocionado”, diz o ator. O filme, que conta a história do ex-pugilista, com direção de José Alvarenga Jr ., tem estreia marcada para o dia 27 de setembro. 

Com um ano duro de treinos e alguns olhos roxos, além da preparação física, Oliveira ficou com o olhar de Éder Jofre. “Fiz um quartinho só com fotos dele, mas também olhei muito para enquanto conversávamos”.

KIKITOS EM GRAMADO

Apresentado no Festival de Gramado, o filme ganhou dois prêmios. O ator Samuel Toledo no papel de  Zumbanão levou o Kikito de melhor coadjuvante. Aos 71 anos, Osmar Prado levou o seu primeiro prêmio no cinema de melhor ator. 

Contemporâneo de Éder Jofre, Prado fala emocionado sobre a cerimônia. “Recebi prêmios na TV e no teatro, e já tinha sido indicado a papeis no cinema, mas nunca achei que eu ia ganhar. Ouvir o seu nome lá em cima é indescritível”. 

+

Cultura

Loading...