Dicionário Peixeiro: conheça cinco expressões típicas de Itajaí

O ND+ juntou as expressões mais usadas pelos moradores e nativos para celebrar os 161 anos de Itajaí, comemorado no dia 15 de junho

Quem nunca, ao passear por Itajaí e pedir informação à um nativo, ouviu a frase: “Camba às direita, depois vais reto toda vida!”. Se você não entender a frase, o nativo ainda solta: “Hum, taix tolo, é? Seu tanso!”.

O vocabulário itajaiense – ou, peixeiro – realmente é único e é necessário conhecimento do dialeto do litoral catarinense para entender. Além das gírias comuns, é normal que a população fale rápido, transforme o S em som de X e emita sons como o “ahn, ahn”.

Bico do Papagaio, ponto turístico de Itajaí – Foto: Arquivo/Bruno Golembiewski/NDBico do Papagaio, ponto turístico de Itajaí – Foto: Arquivo/Bruno Golembiewski/ND

Para comemorar os 161 anos do município de Itajaí e ajudar quem planeja passar uns dias na cidade, o ND+ preparou um “dicionário peixeiro”. Confira!

Taix tolo?

O “taix tolo” pode ser considerado o mais comum no dialeto peixeiro. A frase, geralmente em tom de pergunta, significa “você está doido”.

Tanso

Tanso, ou tansa, é outra ofensa comum. Quer dizer que a pessoa é lerda, lenta: “Fulano é um tanso, foi na padaria e esqueceu o pão”.

Cambar

Cambar é um verbo que substitui o “virar”. Então, se alguém lhe diz: “camba às direita“, você deve virar à direita.

Camaçada de pau

Serve para expressar que alguém levou uma surra, foi agredido.

Dásumbanho

É usada geralmente como elogio, quando alguém faz algo muito bom. Também é usada como ironia.

O “dialeto” itajaiense

No dia 15 de junho, Itajaí celebra 161 anos de história. Um dos maiores municípios da região recebeu imigrantes Açorianos, o que influencia tanto no sotaque quanto na cultura “peixeira”.

Segundo o professor e Mestre Francisco Alfredo Braun Neto, coordenador do curso de História da Univali (Universidade do Vale do Itajaí), “a influência portuguesa e açoriana, tem como característica o fato de Itajaí ter pertencido até 1860 a Porto Belo. No entanto, a cidade sempre contou imigrantes de várias partes do mundo”, explica.

De acordo com ele, isso influenciou para que os moradores de Itajaí desenvolvessem “um sotaque próprio do litoral catarinense, com marcante influência luso-açoriano, porém marcado pela influência cultural de diversas etnias e que por aqui aportaram e continuam a chegar de várias partes do mundo e de todas as regiões do Brasil”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Cultura