Dona Hermínia: a personagem que apresentou Paulo Gustavo ao Brasil

A típica dona de casa, sempre à beira de um ataque de nervos, surgiu quando Paulo Gustavo imitava a própria mãe e os colegas morriam de rir

Dona Hermínia surgiu como uma brincadeira, quando Paulo Gustavo imitava a própria mãe e os colegas morriam de rir. Ela surgiu em 2004 quando, na peça Surto, apresentou a personagem que marcaria sua carreira, Dona Hermínia.

Dona Hermínia, o personagem mais famoso do ator Paulo Gustavo – Foto: Divulgação/NDDona Hermínia, o personagem mais famoso do ator Paulo Gustavo – Foto: Divulgação/ND

No ano seguinte, após se formar na CAL, passou a integrar o elenco de Infraturas, mas o grande reconhecimento de público veio em 2006 com o espetáculo Minha Mãe é uma Peça, que rendeu três adaptações para o cinema (2013, 2016 e 2019), que conquistaram enorme bilheteria.

Trata-se de uma típica dona de casa que, sempre à beira de um ataque de nervos, toma as atitudes mais engraçadas. Além de inspirar a peça, tornou-se um dos personagens fixos do programa de TV 220 Volts, no canal Multishow.

Não foi fácil transpor de uma mídia para outra e ainda preservar o sucesso. A mãe da peça era diferente em relação à que aparece na tela.

“Mudamos tudo, a maquiagem, o gestual, até essa coisa de o ex-marido e os filhos aparecerem, o que não se dá nem na peça nem na TV. É outra coisa, realmente”, contou Paulo Gustavo ao Estadão, em 2013.

Paulo Gustavo dizia que devia tudo à mãe, às tias. “Meu avô dizia que, por baixo daqueles vestidos, elas eram todas homens”, comentou, com uma risada escandalosa.

A típica dona de casa, sempre à beira de um ataque de nervos, surgiu quando Paulo Gustavo imitava a própria mãe e os colegas morriam de rir – Foto: Victor Pollack/Rede Globo/DivulgaçãoA típica dona de casa, sempre à beira de um ataque de nervos, surgiu quando Paulo Gustavo imitava a própria mãe e os colegas morriam de rir – Foto: Victor Pollack/Rede Globo/Divulgação

A transformação do teatro para o cinema, aliás, foi uma decisão pessoal. “No filme Divã, eu era ator contratado. Fiquei de bico calado. Fazia o cabeleireiro da personagem de Lília Cabral. Aqui, a personagem é minha, o filme é meu. Palpitei em tudo. O roteiro é do Fil Braz e meu. Mas o André (Pellenz, diretor) sabe tudo de cinema. Essa coisa do ritmo, da edição, tudo o que se refere ao visual, ao cenário, André é fera.”

Voltando à sua trajetória, Paulo Gustavo protagonizou outra peça em 2010, Hiperativo, dirigido por Fernando Caruso – o título descrevia bem sua personalidade.

No ano seguinte, assumiu a apresentação do programa 220 Volts e, em 9junho de 2013, ainda no Multishow, estreou o sitcom Vai que Cola, que também ganhou uma adaptação para o cinema, em 2015.

Mas o estrondoso sucesso de Minha Mãe é uma Peça nas telonas o convenceu a voltar para uma terceira parte – e o público comprovou que não estava cansado da personagem. Na época do lançamento, Paulo Gustavo disse ao Estadão que gostaria de atingir um público maior com Minha Mãe 3.

O estrondoso sucesso de Minha Mãe é uma Peça nas telonas o convenceu a voltar para uma terceira parte da história – Foto: Divulgação/NDO estrondoso sucesso de Minha Mãe é uma Peça nas telonas o convenceu a voltar para uma terceira parte da história – Foto: Divulgação/ND

“Não me importo de fazer mais, nem temo a concorrência. Já enfrentamos Star Wars no passado e Frozen. Qual era o Star Wars? Ah, sei lá. Nossos números são grandes, mas deveria haver reserva de mercado para a produção nacional. Os filmes grandes atraem público e as pessoas sabem que vão se divertir com D. Hermínia. Mas há filmes menores que também têm de ter espaço. O público precisa se conscientizar disso, o mercado também.”

Ator morreu aos 42 anos

Ator, humorista, diretor e roteirista, Paulo Gustavo morreu nesta terça-feira (4), aos 42 anos em decorrência de complicações da Covid-19. Paulo Gustavo estava internado desde o dia 13 de março, em um hospital no Rio de Janeiro – ele foi intubado menos de 10 dias depois da internação.

O ator, que passou a maior parte do tratamento em estado muito grave, havia apresentado alguma melhora no fim de semana. Na segunda (3), porém, ele teve uma embolia, insuficiência cardíaca e lesões cerebrais devido a uma fístula broncovenosa, uma espécie de abertura entre os pulmões e as veias.

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói, Rio de Janeiro, em 1978. Ele pertence a uma geração de comediantes que se formaram na Casa de Artes de Laranjeira, a CAL, no Rio, como Fábio Porchat e Marcus Majela, entre outros.

Criado em uma família de classe média no Rio, Paulo Gustavo nunca teve problema com sua sexualidade, desde jovem. Em dezembro de 2015, casou-se com o dermatologista Thales Bretas e, quatro anos depois, nasceram os filhos Romeu e Gael, nascidos de diferentes barrigas de aluguel.

+

Cultura