‘Eu escolhi São José’: os relatos de quem vive na cidade que virou referência no Brasil

São José, que celebra 271 anos nesta sexta (19), tem o 4º melhor IDH do Estado e está entre as 25 melhores cidades para morar no país

Qualidade de vida, segurança, organização. Características como essas fazem parte dos relatos de quem escolheu morar no município de São José, na Grande Florianópolis.

São José completa 271 anos nesta sexta-feira – Foto: Ian Sell/NDSão José completa 271 anos nesta sexta-feira – Foto: Ian Sell/ND

Mesmo diante de um cenário pandêmico, São José celebra 271 anos nesta sexta-feira (19), com boas perspectivas. A Administração Municipal projeta o crescimento da cidade com investimentos em tecnologia, educação, cultura, saúde, segurança e lazer.

O município é destaque na geração de empregos, detém o quarto melhor IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) entre as cidades de Santa Catarina e está entre as 25 melhores cidades para morar no Brasil.

Tudo ao alcance

Patrícia Alencar Grigorazzi, de 45 anos, deixou o interior do Estado de São Paulo em 2008. O marido recebeu uma proposta de emprego e ambos vieram morar em Santa Catarina.

A primeira residência do casal em solo catarinense foi no bairro Coqueiros, em Florianópolis, onde moraram por oito meses.

Patrícia Grigorazzi e o marido, no Centro Histórico de São José – Foto: Acervo pessoal/NDPatrícia Grigorazzi e o marido, no Centro Histórico de São José – Foto: Acervo pessoal/ND

Em seguida, o aconchego de uma casa no Centro Histórico de São José chamou a atenção do casal. Patrícia define São José como uma “cidade grande com ares do interior”.

Isso porque, para ela, o município oferece tudo o que é necessário em termos de segurança, comércio, saúde, estrutura e lazer.

O bairro Kobrasol é um dos mais frequentados por Patrícia e o marido, afinal “tem tudo ao alcance”. Durante a temporada de verão, o casal também não vê necessidade de atravessar a ponte para a Ilha de Santa Catarina. O destino predileto são as praias da região Continental.

“Não me imagino em outro lugar”

A jornalista Mônica Andrade Lopes, de 31 anos, trocou a agitação de São Paulo por São José e diz que não se imagina em outro lugar. Moradora do bairro Barreiros desde 2014, Mônica escolheu a cidade, sobretudo, pela localização.

Mônica Andrade Lopes é natural de São Paulo e mora em São José – Foto: Arquivo pessoal/NDMônica Andrade Lopes é natural de São Paulo e mora em São José – Foto: Arquivo pessoal/ND

Ela considera que, além de próxima à Capital catarinense, São José tem fácil acesso a BR-101 e às cidades vizinhas, o que amplia as opções de lazer. A infraestrutura do município é outro ponto positivo, com hospitais, postos de saúde, a Beira-Mar e o Centro Histórico.

Nos bairros centrais, como no Kobrasol, ela conta que encontra uma grande variedade de bares e restaurantes.

Para a paulistana, o comércio atende totalmente as necessidades, desde shoppings até as lojas de rua. A cultura regional é valorizada, com a Feira da Freguesia, museus, apresentações artísticas e escola de oleiros.

“Hoje, tenho orgulho de morar em uma cidade em que as evoluções são visíveis. Não poderíamos ter escolhido lugar melhor.”, avalia Mônica.

Praticidade

A praticidade foi o que atraiu a professora aposentada Ana Maria Chiaradia, de 62 anos, para a cidade de São José. Natural de Lages, Ana Maria se mudou, primeiramente, para Florianópolis em 1984, quando entrou na universidade.

Depois de formada, por volta de 1990, a professora passou a trabalhar em uma escola estadual em São José. Foi quando decidiu comprar um apartamento no Centro Histórico.

Atualmente, Ana Maria mora no bairro Kobrasol, da onde não pretende sair. “Fiz amizade com as pessoas do bairro. É muito legal, tem tudo. Shopping por perto, supermercados, lojas. A praticidade é ótima”, elogia.

+

Eu amo São José