Hobby: comandante dos Bombeiros de Chapecó coleciona 300 mini cães

As peças estão expostas nas prateleiras da sala de comando do 6º Batalhão de Bombeiros Militar

Muitas pessoas tem hobbys, dentre eles, colecionar objetos. É o que faz Walter Parizotto há 15 anos. O comandante do 6º BPM (Batalhão de Bombeiros Militar) de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, tem um carinho especial para as mais de 300 miniaturas que coleciona. Os mini cães estão, na sua grande maioria, expostos na sua sala no próprio batalhão.

Comandante do 6º BPM de Chapecó, tenente-coronel Walter Parizotto, é apaixonado pelas miniaturas de cães que expões na sala de comando – Foto: Carolina Debiasi/NDComandante do 6º BPM de Chapecó, tenente-coronel Walter Parizotto, é apaixonado pelas miniaturas de cães que expões na sala de comando – Foto: Carolina Debiasi/ND

Tudo iniciou com dois cães que comprou em 2006 em uma loja de utilitários em Florianópolis (SC). O tenente-coronel participava do curso para oficiais do CBMSC (Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina) e teve a ideia de criar algo simbólico para presentear as pessoas que participavam dos cursos de cinotecnia, ou seja, treinamento com cães.

“Participei de um evento em Bogotá, na Colômbia, e ganhei um quadro que tinha um bombeiro e um cão. Aquilo me chamou a atenção para que pudéssemos entregar uma lembrança aos participantes de cursos. Mas a ideia não foi adiante”, conta.

As miniaturas viraram decoração sobre a mesa do comandante. Porém, foi o ponta pé inicial para ser presenteado por mini cães, formando uma coleção ainda maior.

“Os meninos que trabalhavam comigo na cinotecnia me deram outro de presente, acabei ficando com três. Eu olhei para aquelas miniaturas e gostei e comecei a comprar, a ganhar e quando eu vi já estava com muitos”, relata Parizotto.

Miniatura especial

Uma miniatura se sobressai aos demais. É um cão de porcelana que já tem 60 anos e pertencia a mãe de Parizotto. Na coleção tem, ainda, miniaturas de todos os países da América do Sul, dos Estados Unidos e também de países europeus.

A miniatura de porcelana tem 60 anos e pertencia mãe de Parizotto – Foto: Carolina Debiasi/NDA miniatura de porcelana tem 60 anos e pertencia mãe de Parizotto – Foto: Carolina Debiasi/ND

“A miniatura de cachorro da minha mãe é especial. Mas tem outros. Meu filho trouxe uma miniatura dos Estados Unidos, outro colega trouxe uma miniatura da loja do Corpo de Bombeiros de Nova York, tem mini cachorros da Alemanha, do leste europeu, da América Latina tenho de todos os países. Então as pessoas já sabem que esse é meu hobby e amo meus mini cachorros”, diz o tenente-coronel.

Paixão por cães

Parizotto iniciou a carreia com cães farejadores na PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina). Ao ingressar na corporação dos Bombeiros, essa paixão por cães continuou. Há 20 anos, esse trabalho de treinamento com cães tem tornado o CBMSC referência para os demais estados e países. Para o tenente-coronel, o envolvimento com cães lhe abriu portas profissionalmente.

Dois cães em miniaturas comprados em uma loja de utilitários em Florianópolis em 2006 foram o ponta pé inicial para a coleção – Foto: Carolina Debiasi/NDDois cães em miniaturas comprados em uma loja de utilitários em Florianópolis em 2006 foram o ponta pé inicial para a coleção – Foto: Carolina Debiasi/ND

“Eu sou mestre em incêndios florestais, mas o destino me levou a área dos cães. Todo trabalho de busca e resgate de vítimas desaparecidas iniciou na cidade de Xanxerê com o meu cão Avaí. Do cão Avaí, seis gerações engrandeceram o trabalho da corporação. Dessa paixão que eu tenho por cães, surgiu também a paixão pelos meus mini cães”, conta.

Sobre essa sensação de colecionar os cães em miniatura, Parizotto disse que transmite tranquilidade. “Meus cachorrinhos trazem inspiração. Eu tive muitas portas abertas profissionalmente por causa dos cães, coisas que eu levaria mais tempo para convencer as pessoas sobre a importância do trabalho com cães de faro e a vida me levou a atuar nessa área”, finaliza.

As histórias são muitas, que Parizotto não se recorda de todas, mas guarda com carinho o presente nas prateleiras da sala de comando dos Bombeiros de Chapecó - Carolina Debiasi/ND
1 14

As histórias são muitas, que Parizotto não se recorda de todas, mas guarda com carinho o presente nas prateleiras da sala de comando dos Bombeiros de Chapecó - Carolina Debiasi/ND

Na coleção de Parizotto tem miniaturas do leste europeu, da América Latina e também dos Estados Unidos - Carolina Debiasi/ND
2 14

Na coleção de Parizotto tem miniaturas do leste europeu, da América Latina e também dos Estados Unidos - Carolina Debiasi/ND

A coleção completa 15 anos e para Parizotto, ser presentada com essas miniaturas o deixa muito feliz - Carolina Debiasi/ND
3 14

A coleção completa 15 anos e para Parizotto, ser presentada com essas miniaturas o deixa muito feliz - Carolina Debiasi/ND

Muitos cachorros estão expostos nas prateleiras, porém em sua casa também tem um espaço especial para deixar a mostra sua coleção - Carolina Debiasi/ND
4 14

Muitos cachorros estão expostos nas prateleiras, porém em sua casa também tem um espaço especial para deixar a mostra sua coleção - Carolina Debiasi/ND

Para Parizotto, os cachorros em miniatura transmitem inspiração para continuar atuando com a cinotecnia, treinamento com cães - Carolina Debiasi/ND
5 14

Para Parizotto, os cachorros em miniatura transmitem inspiração para continuar atuando com a cinotecnia, treinamento com cães - Carolina Debiasi/ND

A coleção iniciou em 2006 e, até hoje, Parizotto é presenteada com mini cachorros - Carolina Debiasi/ND
6 14

A coleção iniciou em 2006 e, até hoje, Parizotto é presenteada com mini cachorros - Carolina Debiasi/ND

As miniaturas estão expostas na sala de comando no Batalhão de Bombeiros de Chapecó - Carolina Debiasi/ND
7 14

As miniaturas estão expostas na sala de comando no Batalhão de Bombeiros de Chapecó - Carolina Debiasi/ND

Na coleção de Walter Parizotto, que passam de 300 objetos, tem mini cães de todo tipo de material, desde porcelana até plástico - Carolina Debiasi/ND
8 14

Na coleção de Walter Parizotto, que passam de 300 objetos, tem mini cães de todo tipo de material, desde porcelana até plástico - Carolina Debiasi/ND

Parizotto comprou essa miniatura em porcelana em uma casa de pulga em Curitiba (PR) - Carolina Debiasi/ND
9 14

Parizotto comprou essa miniatura em porcelana em uma casa de pulga em Curitiba (PR) - Carolina Debiasi/ND

Colega de trabalho comprou essa miniatura na loja do Corpo de Bombeiros de Nova York - Carolina Debiasi/ND
10 14

Colega de trabalho comprou essa miniatura na loja do Corpo de Bombeiros de Nova York - Carolina Debiasi/ND

Cão de porcelana veio da Alemanha, um presente recebido por Parizotto de um juiz de certificação de cães - Carolina Debiasi/ND
11 14

Cão de porcelana veio da Alemanha, um presente recebido por Parizotto de um juiz de certificação de cães - Carolina Debiasi/ND

Mini cão metálico foi entregue a Parizotto pelo filho Nicolas; a miniatura veio dos Estados Unidos - Carolina Debiasi/ND
12 14

Mini cão metálico foi entregue a Parizotto pelo filho Nicolas; a miniatura veio dos Estados Unidos - Carolina Debiasi/ND

Dois cães em miniaturas comprados em uma loja de utilitários em Florianópolis em 2006 foram o ponta pé inicial para a coleção - Carolina Debiasi/ND
13 14

Dois cães em miniaturas comprados em uma loja de utilitários em Florianópolis em 2006 foram o ponta pé inicial para a coleção - Carolina Debiasi/ND

A miniatura de porcelana tem 60 anos e pertencia mãe de Parizotto - Carolina Debiasi/ND
14 14

A miniatura de porcelana tem 60 anos e pertencia mãe de Parizotto - Carolina Debiasi/ND

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Cultura