Laudelino Sardá

Causos da Ilha, seus personagens, histórias e momentos do cotidiano de Florianópolis com quem conhece os cantos da Capital de Santa Catarina.


O resgate dos Carijó

– Venanço, os teus filhos estudaram aonde?
– Em Canasvieiras. Por quê?
– Eles aprenderam a história e a vida da Ilha?
– Pelo que sei, não, e nem os meus netos.
– Pois é, Venanço, ônti-ônti, o dotô Frânio me contou cada coisa aqui na praia, até do tal Dias Velho…
– …Isso eu sei, ele fundou a cidade
– … mas tu não sabia que foi um pirata que matou ele.
– Aí quex demás.
– Mash, Venanço, os Carijó eram índios galegos, sabia?
– Tás tolo, Lelo, desde quando a Alemanha tem índio?
– Não, Venanço, eles tinham a pele mais branca que a gente. E viviam bem com frutas, verdura, peixe e até plantaram aqui o milho e a mandioca. Era gente boa, que ajudava os navegadores.
– Tu vê, né, Lelo, quantas histórias bonita, e a gente não sabe. E olha que o dotô Afrânio é de Criciúma.
– Vá vê que ele não conhece nada da Criciúma.
– Santo de casa não faz milagre, solta Venanço às gargalhadas.
– E sabes que Dias Velho construiu uma capela onde tá hoje a Catedral. Lembras do coreto?. Acho que tu ias lá ver o coral cantá, né?
– Esquece, Lelo, faz tempo!
– Aquele lugar do coral era dos carijó. Por que não melhorá o coreto pros índios vender suas coisas, cantá e dançá?
– Poxa, Lelo, que bonito ia ficá! Acho que Floripa ia pagar a dívida com os índios, que vivem abandonados nas ruas da cidade; as crianças dormindo no relento. Dá pena! O índio tem que voltá a ser gente como nós. E sabes que a música dos índios é muito bonita? O turista ia chamar Floripa de Ilha dos Carijó?
– Da mesma forma, Venanço, a prefeitura ia ser forçada a resolver o problema de drogados que moram no coreto.
– Ô Lelo, só espero que a prefeitura não crie uma secretaria só pra cuidá disso, né, pois criaram agora uma secretaria de meio ambiente se já tem a Floram. Se a Floram não serve, por que não melhora ela?
– Mas Venanço, tu és ingeno. E o compromisso eleitoral?
Não é só isso não, Lelo. É vício. É a mesma cosa de 30 anos atrás. Não se melhora o que tem. Criar cosa nova dá ibopi.
– É, Venanço, enxugá a máquina dá muito trabalho e rouba voto.