Ocupa CIC tem novo protesto na sexta-feira (4) em frente à SOL

Grupo quer conversar com o secretário José Natal sobre os rumos da cultura no estado

Rosane Lima/ND

Na última sexta-feira (27), participantes do movimento fizeram manifestações por todo o estado

Na tarde de sexta-feira, artistas e profissionais de cultura de pelo menos sete cidades catarinenses se reuniram para divulgar as reivindicações do movimento Ocupa CIC e do Fórum Catarina de Cultura. As manifestações começaram em Florianópolis na última segunda-feira, com a subsequente ocupação do CIC (Centro Integrado de Cultura), e já tomam proporção estadual.

Em Florianópolis, um grupo de cerca de 130 pessoas (segundo os contagem dos próprios manifestantes) saiu do CIC às 14h de sexta-feira em direção ao Ticen (Terminal de Integração do Centro), com paradas em frente da casa do governador do estado e da Fundação Franklin Cascaes. Nesses locais foi lido o manifesto do Ocupa CIC, para reiterar as reclamações do grupo, que incluem a falta de comunicação do governo na hora de elaborar as políticas culturais e a não realização de editais como o Elisabete Anderle .

Criciúma, Joinville, Jaraguá do Sul, Itajaí, Rio do Sul, Chapecó, Blumenau e Xanxerê aderiram ao movimento. A ideia era de fazer manifestações em frente aos órgãos regionais de cultura e das Secretarias de Desenvolvimento Regional. “Temos varias gerações no movimento e a gente não lembra mesmo de ter visto uma manifestação tão intensa no estado. A repercussão foi incrível para a gente e o movimento continua”, diz Daniel Olivetto, participante do Ocupa CIC.

Em uma reunião na manhã de sábado, os manifestantes marcaram a próxima ocupação: sexta-feira, dia 4, em frente à Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL). “A gente vai lá ver se a gente consegue falar com o [José] Natal e continuar dando visibilidade para a causa”, diz Felipe Pinho. O governo do estado e a secretaria ainda não se manifestaram sobre o movimento.

+

Cultura