Diretores denunciam irregularidade na presidência do Creci-SC

A empresa do presidente do Creci-SC, Antônio Moser, estaria atuando sem registro no próprio Conselho Regional de Corretores de Imóveis

Marcada para ocorrer na próxima quarta-feira (7), as eleições para a direção do Creci-SC (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Santa Catarina) está cercada de polêmica.

O atual presidente e candidato à reeleição, Antônio Moser, foi denunciado ao Confeci (Conselho Federal de Corretores de Imóveis) por má conduta. A empresa dele estaria em funcionamento, há cinco anos, sem registro no próprio conselho regional.

Antônio Moser, presidente do Creci-SC, é alvo de denúncia de diretores – Foto: Divulgação/ NDAntônio Moser, presidente do Creci-SC, é alvo de denúncia de diretores – Foto: Divulgação/ ND

A denúncia foi confirmada pelo atual segundo vice-presidente do Conselho, Carlos Augusto Nascimento e Silva, que exigiu providências da direção da entidade. A empresa de Antônio Moser chegou a sofrer fiscalização do próprio Creci e os fiscais teriam constatado a irregularidade.

O ofício enviado ao presidente do sistema Cofeci, João Teodoro da Silva, mostra o isolamento de Antônio Moser com a atual diretoria do Creci. O documento tem a assinatura de Lourenço Henrique Oliva, primeiro vice-presidente; Carlos Augusto Nascimento e Silva, segundo vice-presidente; Almir Gustavo Oliveira, primeiro diretor secretário; e Wilson Carvalho de Almeida, segundo diretor secretário.

No ofício, os diretores dizem que o presidente do Creci-SC tem tido um “comportamento irresponsável”. O grupo conta que Antônio Moser mantém ativa uma empresa imobiliária registrada que tem como atividade principal “corretagem na compra e venda e avaliação de imóveis”, desde maio de 2015, sem o devido registro no Creci-SC.

Creci-SC tem eleição marcada para a próxima quarta-feira (7) – Foto: Divulgação/ NDCreci-SC tem eleição marcada para a próxima quarta-feira (7) – Foto: Divulgação/ ND

Segundo a denúncia, a legislação eleitoral não permitiria que Moser concorresse nos últimos pleitos. Os dirigentes disseram ainda que não tinham conhecimento dessa prática do presidente quando aceitaram fazer parte da atual direção.

“Uma conduta ilegal e antiética do presidente de uma entidade com finalidade principal de fiscalizar o exercício profissional”, frisaram os diretores na nota.

Os dirigentes pedem o afastamento de Antônio Moser da presidência e o impedimento dele concorrer às eleições.

Outro lado

A Creci-SC, por meio de sua assessoria, respondeu que “não há qualquer denúncia sobre supostos fatos de irregularidades” envolvendo o presidente Antonio Moser, seja no Cofeci ou no próprio conselho regional.

Em nota, a entidade afirma que Antonio Moser “sempre atuou na intermediação de locações, compras e vendas, bem como promoveu divulgação e marketing, apenas como pessoa física”.

Assim, apesar de ter constituído pessoa jurídica em 2015, o presidente diz que nunca patrocinou intermediação imobiliária de qualquer natureza.

“Muito embora tenha se decidido, inicialmente, pelo seu cancelamento, optou-se pela sua manutenção e registro perante este Conselho Regional, o que foi realizado em razão de projetos futuros”, completa.

Eleições no Creci

Atualmente, três chapas buscam disputar a eleição: uma encabeçada por Fernando Willrich, a de Antônio Moser e outra da corretora Sandra Pires. A eleição será online e ocorrerá da meia-noite às 20h, por meio do www.votacreci.com.br.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Direitos

Loading...