Estupro coletivo de rapaz em Florianópolis vai parar em jornais internacionais

Alguns dos principais veículos de comunicação dos Estados Unidos, Reino Unido e Argentina repercutiram o crime brutal ocorrido na Capital catarinense no dia 31 de maio

“Barbaridade”, “Espirais de ódio”, “Brutal”. Estes foram alguns dos termos utilizados pela imprensa internacional para definir o crime de estupro coletivo contra um rapaz homossexual, de 22 anos, em Florianópolis. O caso aconteceu no último dia 31 de maio, na região Central da cidade.

Estupro coletivo de rapaz em Florianópolis vai parar em jornais internacionaisCrime virou manchete em pelo menos quatro jornais, na Argentina, Estados Unidos e Inglaterra – Foto: Montagem/ND

Pelo menos quatro jornais contaram a história do jovem, com ênfase no aumento dos crimes de ódio no Brasil. As publicações são dos Estados Unidos, Reino Unido e Argentina.

A vítima foi torturada e teve o corpo marcado com palavras homofóbicas. Informações preliminares dão conta de que cerca de três homens cometeram o crime. Lideranças LGBTs que prestam apoio a vítima, como  Margareth Hernandes, presidente da Comissão de Direito Homoafetivo e Gênero da OAB/SC (Ordem dos Advogados do Brasil), sofreram ameaças.

A investigação é conduzida pela 5ª DP (Delegacia de Polícia Civil da Capital) e corre sob sigilo. Após os atos violentos, a vítima foi abandonada no meio da rua. Ele foi hospitalizado, mas recebeu alta no início dessa semana e está sob os cuidados da família e recebendo tratamento psicológico.

Aumento no número de crimes de ódio

O The Guardian, um dos mais expressivos jornais britânicos, publicou nesta quarta-feira (9) a reportagem “Epidemia da violência: Brasil está em choque após estupro coletivo bárbaro de homem gay”, assinado pela jornalista Sarah Johson. Ela ouviu lideranças LGBT e de direitos humanos em Florianópolis e de outras regiões do Brasil.

Uma das fontes da reportagem é Lirous Ávila, presidente da ADEH (Associação em Defesa Dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade). Ao Guardian, destacou que o crime indignou o país, e que as opiniões se dividiram: há quem ficou chocado e quem quis justificar a barbaridade A reportagem destacou que o Brasil tem taxas alarmantes de violência contra LGBTs.

Pelo menos 237 vítimas LGBT morreram violentamente em 2020 no país: 224 foram assassinados e 13 cometeram suicídio, conforme dados do Grupo Gay da Bahia, que entre janeiro e junho de 2020 recebeu 1.134 denúncias de abusos contra LGBTs.

Portais LGBTs

A história também repercutiu em dois sites destinados ao público LGBT, os jornais Advocate (Estados Unidos) e o PinkNews (Reino Unido). Este, destacou que o crime ocorreu justamente no mês do orgulho LGBT. Também optou por ressaltar a violência contra a comunidade trans: uma vítima é morta a cada dois dias no país.

Com o título “Violência brutal contra um homem homossexual no Brasil”, a Rádio Continental repercutiu a reportagem publicada pelo The Guardian. O veículo é um dos meios de comunicação de maior repercussão em Buenos Aires, na Argentina.

Uma manifestação pelo fim dos crimes de homostransfobia será realizada neste sábado (12) em Florianópolis. O ato foi convocado pelo grupo Mães pela Diversidade de Santa Catarina. Marcada para às 14h, a manifestação ocorrerá no Largo da Catedral, no Centro da Capital.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.