Sabrina Aguiar

sabrina.aguiar@ndtv.com.br Coluna sobre os assuntos de Joinville e região. A economia, segurança pública, política e todos outros fatos por quem vive e pensa sobre as cidades.


Procon notifica companhias aéreas por cancelamento de voos

Justificativa das empresas seria surto de Covid entre tripulação, mas para o órgão o número de cancelamentos está prejudicando muitos passageiros

O Procon de Santa Catarina tomou medida contra as companhias aéreas após cancelamento de voos por surto de Covid entre a tripulação. O documento enviado para as empresas aéreas Latam, GOL, Itapemirim e Azul, notifica e exige que todas repassem informações sobre o impacto dessa medida no território catarinense.

Isso porque o número de cancelamentos de voos devido ao aumento de casos de Covid-19 e influenza prejudicar muitos consumidores nos últimos dias. Em Joinville, não houve confirmação pela Infraero do cancelamento e quantos deixaram de chegar ou decolar do Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola. Mas muito passageiros se deslocam daqui para Navegantes, por exemplo, que só nesta segunda (10), teve um voo cancelado à tarde.

Muitos passageiros e consumidores acabaram sendo pegos de surpresa, já que a maioria dos cancelamentos foi por suspeita de casos entre a própria tripulação da companhia.

Companhias possuem prazo com urgência para responder questionamentos do Procon – Foto: Pixabay/Divulgação/NDCompanhias possuem prazo com urgência para responder questionamentos do Procon – Foto: Pixabay/Divulgação/ND

A notificação pede ainda que as empresas apresentem o número de voos cancelados no estado desde o dia 1 de janeiro de 2022. Além disto, devem enviar ao Procon uma relação com o número de consumidores lesados e informar se irá devolver os valores para os consumidores em até 07 (sete) dias ou se irá remarcar os voos, e por fim, que informe quais medidas estão sendo tomadas para que os consumidores não sejam prejudicados.

“É direito básico do consumidor ter informação adequada e clara sobre os produtos que ele adquire. E não estamos fazendo nada além do que cumprir o que determina o Código de Defesa do Consumidor”, explica o diretor do órgão, Tiago Silva.

Em caso de descumprimento a notificação, as companhias estarão sujeitas às sanções administrativas previstas.

Loading...