Bons ventos para Bruno Fontes

Força Brunão!

 

Marcelo Cabral/ND

Bruno Fontes

O velejador catarinense Bruno Fontes retorna hoje para Florianópolis. Ele chegou preparado para buscar uma medalha em Londres, mas segundo o próprio manezinho, foi obrigado a arriscar durante as regatas e acabou ficando longe do pódio. Bruno terminou na 13º posição da classe Laser, uma evolução, já que em Pequim-2008, ficou com a 27ª colocação. Em outubro, o atleta de Floripa vai encarar um desafio inédito: vai ser papai da pequena Clara. Que os ventos do bem soprem forte para Bruno em direção aos Jogos do Rio de Janeiro em 2016 e que limpem o caminho da “pequena velejadora” que está chegando na área. Força Brunão!!!

Pergunta

É só entrar em contato com os amigos aí do Brasil, via internet ou por telefone, que a pergunta logo vem: “Vocês estão curtindo muito aí em Londres?”. A resposta geralmente é sim, estamos curtindo muito trabalhar nos Jogos Olímpicos. Mas é uma curtição muito diferente da indagada. A galera quer saber das festas, dos agitos, das “gatas e gatos” e das baladas da Inglaterra. Nossa missão na Terra da Rainha vai completar 30 dias no próximo domingo. Um mês sem parar, mas confesso que parece que passou só uma semana.

Agora sim

O vôlei brasileiro feminino e masculino chegou na Olímpiada dividindo opiniões. Se as meninas defendiam o ouro Olímpico, os meninos passavam por uma fase conturbada. O Brasil, que se acostumou a ser uma potência na modalidade, nos últimos tempos tem encontrado adversários de nível. O momento do vôlei verde e amarelo é muito parecido com o vivido pelo futebol nas últimas duas décadas. Os outros países aprenderam a jogar e principalmente a evoluir no esporte. Depois de um início confuso em Londres, os meninos e meninas do vôlei brazuca estão nas semifinais. Pra cima deles Brasil!!!

Fome por livros

Uma coisa que chamou muita a atenção em Londres foi a paixão dos ingleses pela literatura. E o gosto também foi passado para os indianos, italianos, etc. Que bom seria se os brasileiros também fossem no mesmo caminho. Com certeza trilhariam um mundo melhor e mais rico em conhecimento. O problema é que no Brasil, o lixo das manchetes é reciclado com eficiência pelas mentes que buscam apenas o próprio lixo. É claro que tem as exceções. Mas é minoria.

Privilégios para poucos

Já falamos aqui da mobilidade urbana de Londres, considerada uma das melhores do mundo. Todos os transportes são muito eficientes. Mas quando o assunto é o preço, aí a história muda completamente. Omais barato é bicicleta é claro. Agora os taxis cobram caro. Tudo bem que isso é em todos os lugares. Mas aqui é acima da média. Por exemplo, um trecho do aeroporto de Florianópolis até o bairro da trindade custa aproximadamente R$45. Em Londres, o mesmo percurso não sai por menos de 140 reais. Diria aquela velha frase. “Quem converte não se diverte”.

Uma olimpíada musical

Cobrindo a Olimpíada de Londres não podemos esquecer de citar duas bandas que fizeram aqui da Inglaterra, a capital mundial do rock. Beatles e Rolling Stones. Estivemos na famosa Rua Abbey Road. A mesma que serviu de capa para o disco mais vendido da história dos Beatles em 1969. Dois fatos chamaram a atenção do dia 26 de setembro. Paul MacCartney atravessou a história faixa de pedestre descalço e com um cigarro na mão. O outro, vamos contar só na matéria. Sobre os Rolling Stones, que tal uma exposição com fotos exclusivas. Fique ligado na RICTV Record.