Confira as novidades para 2018 em decoração de interiores

Feiras internacionais e nacionais ditam as tendências do ano

Mal começou e 2018 já promete novidades na decoração de interiores. As feiras internacionais abriram seus pavilhões no último dia 15 e, junto às nacionais, praticamente emendam suas agendas uma na outra. Há um tempo elas atraíam a atenção apenas dos profissionais da área, mas hoje, com o fácil acesso às informações, qualquer pessoa pode acompanhar as tendências e adequá-las ao seu estilo.

THE INTERNATIONAL INTERIOR SHOW

Abrindo os trabalhos, em Colônia, na Alemanha, foi a primeira grande feira da área do ano (14/1 a 20/1). Apresentou muitas inspirações escandinavas, porém saindo do aspecto frio e mostrando ambientes acolhedores, com utilizações de cores mais fortes. O espaço denominado Das Haus, onde um artista convidado expõe um trabalho autoral, recebeu a designer tcheca Lucie Koldova, que projetou um espaço inspirado na luz. Um ambiente formado por menos paredes e demarcado pela manipulação da luz, que em sua opinião permite criar ilimitadas sensações.

Sala de banho do espaço Das Haus - Instagram @luciekoldova/Divulgação/ND
Sala de banho do espaço Das Haus – Instagram @luciekoldova/Divulgação/ND

MAISON & OBJET

Nem espera uma terminar e já começa outra. Da Alemanha direto à França, mais precisamente a Paris, para a Maison & Objet (19/1 a 23/1). Esta edição homenageou a dinamarquesa Cecilie Manz, que segue a linha do design escandinavo, mas defende que cada país deve refletir seu próprio estilo de vida. Para isso, reforça a importância de incorporar cores fortes às paletas de cinzas. Seu mobiliário envolve o equilíbrio entre civilização e natureza.

Lúdico e Cenográfico - Foto: Evandro Gaspar/Divulgação/ND
Lúdico e Cenográfico – Foto: Evandro Gaspar/Divulgação/ND

Como estou no Brasil, busco me inteirar on-line mesmo. Só que desta vez consegui informações com meu grande amigo, arquiteto, professor universitário, Evandro Gaspar, que esteve na feira e enviou fotos e suas percepções. 

Evandro diz que é evidente a força da estética rústica nos expositores: fibras, linhos, pedras e raízes, normalmente acompanhadas de alguma etnia africana, oriental ou tropical.

Percebe-se também um forte maximalismo lúdico e cenográfico luxuoso, com uma “pegada” divertida até burlesque. Em contrapartida, é notável a presença do design orgânico. Empresas
portuguesas estão em evidência nesta edição.