Escola do Teatro Bolshoi recebe quatro novos alunos do Piauí

Teresina e o governo do Piauí mantêm convênio com o Bolshoi desde 2003

Rogério Souza Jr./ND

Clemilton, Giovana, José e Leonardo são recepcionados pelos novos colegas

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil ganhou mais quatro alunos ontem. Eles vieram de Teresina, no Piauí, e foram recepcionados pelos colegas que vão acompanhá-los nos próximos 8 anos. Tímidos, aos poucos foram se soltando e conhecendo a grandiosidade da instituição, única filial do Bolshoi fora da Rússia. Leonardo Alves Campos, 12 anos, era o que se soltou mais rapidamente. E disse que não imaginava que a escola fosse tão grande e com tantos alunos.

Ele chegou em Joinville no fim de semana, junto com Giovana Lima de Oliveira, 9 anos, Clemilton de Souza Rodrigues Filho, 11 anos, e José Willian da Silva, 11 anos, que agora viverão juntos o sonho de ser um bailarino profissional. Eles não chegaram sozinhos. Vieram acompanhados de representantes dos governos municipal e estadual. Teresina e o governo do Piauí mantêm convênio com o Bolshoi desde 2003. No ano passado, 3 alunos se formaram e, para dar continuidade a parceria, novos alunos foram selecionados neste ano.

Segundo Sylvya Berbosa, da Secretaria de Educação e Cultura do Piauí, como agora todos os alunos do Bolshoi são bolsistas e é preciso apenas bancar a manutenção com alimentação e moradia, o convênio pode ser ampliado e beneficiar mais crianças. “A expectativa é grande e podemos começar a amadurecer esta ideia”, afirma. Para Ana Cleide Lopes, da Secretaria de Educação de Teresina, a formatura dos 3 alunos (um dá aulas lá, outra esta na Cia. Jovem do Bolshoi e outro dança no exterior) só aumenta a expectativa para a formatura de mais dois neste ano. “O sucesso deles nos fazem acreditar ainda mais nesta parceria”, garante.

A seleção, que avaliou cerca de 400 crianças da rede pública, aprovou cinco alunos. A mãe de um deles desistiu e não permitiu a vinda do filho. O trabalho que escolheu os quatro novos alunos ocorreu no mês passado e os pequenos tiveram menos de 30 dias para se acostumar com a mais nova realidade: sair da escola onde sempre estudaram e morar longe dos pais.

Em Joinville, foram recepcionados por Maria do Socorro Nogueira da Cruz, mãe social que desde que o convênio entre o Bolshoi. Segundo ela, a chegada deles garante a continuidade do projeto. “É uma alegria recepcioná-los e é o sonho sendo renovado. É um recomeço com os novos alunos, ainda mais que percebemos que existe mudanças tanto na vida deles como na família, que fica em Teresina”, afirma.

Saudades da família

A única menina deste grupo, Giovana, estava ansiosa para começar as aulas e conhecer os novos colegas. Nem a ideia de que só vai reencontrar os pais em dezembro tira o sonho desta pequena se tornar bailarina. Na máquina fotográfica que trouxe, a imagem da mãe, para matar a saudade. A mãe e avó de Leonardo foram as que mais choraram assim que saiu a aprovação e no aeroporto, no dia do embarque.

Mesmo sabendo da saudade que vai sentir delas, disse que precisa pensar no futuro, já que sonha em ser professor de balé. Ele garante que tirou a sorte grande. “Foi difícil participar da seleção. Como teve greve na escola, não fiz a inscrição. No dia da seleção minha mãe conseguiu me inscrever”, recorda.

Como já dançava há três anos, Clemilton de Souza Rodrigues Filho, 11 anos, diz que não estava ansioso no dia do teste, no mês passado. “Foi tranquilo”, garante. O rosto muda quando fala da distância da família. Dos quatro novos alunos, é o único que tem internet em casa, o que vai facilitar as conversas com quem ficou em Teresina.

Depois de receber o uniforme, Leonardo Campos estava mais a vontade e falou sobre as diferenças entre as duas cidades. “Meu pai me contou que ia ser frio por aqui e até me deu um casaco”, conta o garoto. A temperatura agradável da manhã de ontem, de 25ºC, não se compara com a da cidade natal, que a mais baixa é na casa dos 30ºC. A comida também tem um sabor especial. “Estou adorando a salada, a carne não é tão salgada. Isso aqui é o paraíso”, garante.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo